Golpe assanhou os fascistas: Bolsonaro defende matança no campo

Screen Shot 2018-08-30 at 3.33.39 PM

Da redação – Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (29) que as ações do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) devem ser tratadas como terrorismo. Além disso, afirma que seria “legitima defesa” matar militantes do movimento. Ele estava em um evento re ruralistas na cidade de Esteio, Rio Grande do Sul.

“Nós temos que tipificar suas ações como terrorismo. Invadir propriedade rural ou urbana é inadmissível, e um dos pilares da democracia é a propriedade privada. Um elemento cometendo um ilícito, caso ele venha a ser abatido, esse que o abateu não pode ser processado, não pode ir para tribunal de júri. Afinal de contas, nós defendemos a legítima defesa da vida própria e de terceiros. E defendemos a propriedade própria e de terceiros “,  declarou Bolsonaro.

Bolsonaro é um reflexo dos anseios da extrema-direita, face da burguesia desesperada pelo avanço do poder das massas polarizadas à esquerda. Dessa forma, é necessário lutar contra o avanço do fascismo no Brasil e lutar contra o golpe. É preciso organizar comitês de autodefesa para garantir o movimento de luta operária pela Liberdade de Lula e por Lula Presidente.