Golpe em Araraquara: direita quer impeachment do prefeito do PT; é preciso impedir e derrotar os golpistas

edinho-silva-02-03-2018

Na cidade de Araraquara, interior de São Paulo, a direita local, através das instituições burguesas e da Câmara Municipal, busca dar um golpe no prefeito Edinho Silva, do PT, e derrubá-lo do cargo. É preciso impedir essa ação golpista e, com o movimento popular organizado, derrotar a direita.

Sobre essa questão, o Diário Causa Operária Online entrevistou a companheira Flávia Prates, militante do PCO em Araraquara.

Edinho Silva é vítima de uma campanha sistemática de golpe por parte da direita. Que tipo de ataques ele vem sofrendo?

A direita ataca o Edinho de diversas formas: primeiro alegava que o PT queria “dividir” os cidadãos quando a Prefeitura propôs alíquota progressiva de IPTU. Ataca o governo por causa da Lava Jato, já que o prefeito foi tesoureiro da campanha de Dilma em 2014 e ministro em seu governo, assim, por consequência da perseguição ao PT durante o processo farsa, Edinho também foi investigado, o que levou a direita de Araraquara a fazer de tudo para impedir sua eleição, inclusive espalhando panfletos sobre Edinho, pedindo até sua prisão no período eleitoral (2016). Além disso, a direita procura atacar o governo pelo apoio às politicas para minorias, como LGBT, de Mulheres e pelo prefeito se declarar contra a perseguição aos professores nas escolas e contra a censura. Isso sem dizer o óbvio: os ataques da direita ao Edinho, agora por meio da Polícia Federal, são uma clara tentativa de desmoralizá-lo, persegui-lo e criar condições para uma campanha de imprensa da direita (que já começou) e, com isso, dar o golpe local.

Por que tentam derrubá-lo da Prefeitura?

Primeiro por se tratar de um governo do PT. O Edinho já está no terceiro mandado na cidade, o que demonstra real apoio da população tanto para ele quanto para a política que ele desenvolveu ao longo dos anos em Araraquara. Entretanto, o atual governo se dá no meio do golpe de estado que derrubou a presidenta Dilma, prendeu Lula e quer acabar com os governos progressistas. Araraquara é a segunda maior cidade administrada pelo PT no país e isso não agrada essa direita raivosa que deu o golpe contra a população, ainda mais num governo que demonstra sensibilidade às demandas da população mais pobre e periférica, num estilo de governo quase que populista que até atende a população por aplicativo de celular, etc., bem como pela resistência que o governo coloca às pautas conservadoras e direitistas.

Além da campanha golpista contra o prefeito, a direita tem tentado impor outras políticas de ataques contra a população de Araraquara?

Sim. A direita tem tentado aprovar o Escola Sem Partido e impedir a revisão da Planta Genérica de Valores, o que obriga os ricos e a classe média da cidade a pagarem mais impostos. Isso sem falar na recusa ao IPTU progressivo, isso oficialmente. Extra-oficialmente se implantou na cidade um “puxadinho” do grupo fascista Direita São Paulo, que se denomina Direita São Paulo – Araraquara, formado por apoiadores abertos de Jair Bolsonaro e seus candidatos (alguns agora eleitos) que vêm perseguindo a esquerda mais combativa, que denuncia o golpe, que pede liberdade para o presidente Lula, enfim, que faz a agitação e propaganda na cidade. Estes perseguem vereadores do PT, sobretudo os que mais se destacam, tentam intimidar com filmagens, esse tipo de coisa. Os partidos que articulam mais abertamente com o movimento Direita São Paulo – Araraquara são MDB, PSDB e PSB.

Por fim, esse grupo bolsonarista está começando a perseguição contra os professores, já expuseram uma professora em sua página no Facebook onde a mesma foi constrangida e ameaçada até de morte por estar em uma foto com alunas que tinham o lema “#elenão” no braço. Lembrando que esse grupo tem apoio de vereadores que querem tirar o prefeito, não estão agindo somente pelo grupo de São Paulo, mas orientados também de dentro da Câmara.

Qual deve ser a postura do movimento popular e da população de Araraquara diante da ofensiva da direita?

A postura do movimento popular araraquarense frente a mais essa ofensiva dos golpistas deve ser firme, de enfrentamento. A política a ser adotada deve ser a de denunciar as manobras e interesses da direita, que quer impor a queda de um governo popular para, como já fez o governo anterior, de Marcelo Barbieri do MDB, cortar o apoio às minorias e periferia que é a principal bandeira do governo petista, tanto que está no terceiro mandado. É necessário e urgente defender o governo Edinho da tentativa de golpe local com uma campanha de agitação e propaganda nas ruas, denunciando e enfrentando a direita golpista.