Siga o DCO nas redes sociais

Programa da burguesia
Golpe destruiu o emprego, desocupação e “bicos” dispararam
Longe de uma fatalidade, a situação é o resultado do programa da direita. Atacar os direitos trabalhistas e as condições de vida da população para manter os lucros dos capitalistas
desemprego-sp-1170x780
Programa da burguesia
Golpe destruiu o emprego, desocupação e “bicos” dispararam
Longe de uma fatalidade, a situação é o resultado do programa da direita. Atacar os direitos trabalhistas e as condições de vida da população para manter os lucros dos capitalistas
Fila de desempregados em São Paulo: Romerito Pontes
desemprego-sp-1170x780
Fila de desempregados em São Paulo: Romerito Pontes

No último dia 30 de novembro, uma matéria publicada no jornal golpista O Globo, escrita por uma técnica do Instituto de Pesquisas Aplicadas (IPEA), alertou para o resultado econômico do governo Bolsonaro.

Na matéria, a técnica Maria Andreia Parente Lameiras, baseada nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que o aumento dos postos de trabalho estão diretamente ligados à informalidade, ou seja, aos “bicos” e trabalhos autônomos (motoristas e entregadores de aplicativo).

Segundo a pesquisa, os trabalhadores informais já são 41,2% da população ocupada, considerando todos os tipos de ocupações informais – por conta própria ou no setor privado sem carteira assinada ou CNPJ. Entre as 94,1 milhões de pessoas empregadas, 38,8 milhões estão nesta situação. Diferente da propaganda do governo Bolsonaro, que comemorou o “aumento dos postos de trabalho”, a realidade é que esses novos “postos de trabalho” são de “autônomos”, sem carteira assinada, nada mais do que os antigos empregados da indústria e da construção civil (setores que mais perderam trabalhadores desde 2012, segundo a PNAD Contínua 2012-2018) demitidos devido a recessão e a política dos golpistas, que destruíram a indústria nacional.

Este número também foi influenciado pelo recorde de trabalhadores sem carteira assinada no setor privado (11,9 milhões) e por conta própria (24,4 milhões). Aumento da informalidade que fez a taxa da população que contribui para o INSS cair para 58,6 milhões de brasileiros ocupados contribuindo com o sistema previdenciário e aproximando-se da mínima histórica, registrada no início de 2012.

O dado é muito ruim, pois se contrapõe ao efeito das festas do fim de ano e da liberação do FGTS, o que deveria levar a um aumento maior da ocupação. O que mostra o impacto da política dos golpistas sobre a Economia do País.

Essa situação não foi causada por uma fatalidade. É o resultado da política e do programa da direita. Atacar os direitos trabalhistas e as condições de vida da população para os grandes capitalistas possam continuar parasitando a sociedade e lucrando. Contra isso só há um caminho para os trabalhadores avançarem, é preciso se mobilizar pelo Fora Bolsonaro!