Golpe destrói a saúde dos trabalhadores da Caixa Econômica Federal

A FENAE (Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal) lançou recentemente uma pesquisa com o objetivo de mapear o atual estado de saúde física e mental dos trabalhadores da Caixa Econômica Federal. Os dados foram coletados entre os dias 2 e 30 de maio deste ano.

O perfil dos entrevistados foram 51,0% de mulheres e 49,0% de homens, ambos na média de 35 a 45 anos. De acordo com a pesquisa um em cada três funcionários teve problemas de saúde no ultimo ano e o uso de antidepressivos é frequente entre os trabalhadores.

O documento divulgado pela FENAE denuncia que mais da metade dos trabalhadores da CEF já sofreu com assedio moral com demanda excessiva por trabalho, pressão, atribuição indevida de erros, ameaças, gritos.  O assunto suicídio também foi abordado entre as trabalhadoras e trabalhadores da caixa, 46,9% souberam de algum caso.

O banco também sonega informações sobre acidentes de trabalho. Somente 4,4 % do total de acidentes foi emitido pela Caixa.

Essa pesquisa prova que o golpe e suas reformas trabalhistas catastróficas, fez com que os trabalhadores atuassem em condições mais precárias, com menos segurança, e pressão para atingir metas.

Confira a pesquisa.