Brazil's lawmakers celebrate after they reached the votes needed to authorize President Dilma Rousseff's impeachment to go ahead, at the Congress in Brasilia on April 17, 2016.
Brazilian lawmakers on Sunday reached the two thirds majority necessary to authorize impeachment proceedings against President Dilma Rousseff. The lower house vote sends Rousseff's case to the Senate, which can vote to open a trial. A two thirds majority in the upper house would eject her from office. Rousseff, whose approval rating has plunged to a dismal 10 percent, faces charges of embellishing public accounts to mask the budget deficit during her 2014 reelection. / AFP PHOTO / EVARISTO SA
|

A 42ª Universidade de Férias do Partido da Causa Operária  (PCO) e Acampamento da Aliança da Juventude Revolucionária (AJR) – que acontecerá entre os dias 23 e 29 de julho em São Paulo – terá como tema de estudo central o golpe de Estado no Brasil. Para se ter sucesso neste intento, de compreensão de um evento histórico, é necessário analisar o momento da história nacional e mundial, para que, ao reconstruí-lo e analisá-lo teoricamente para que se possa identificar os nexos causais responsáveis por tal evento.

Da crise da ditadura ao golpe de 2016, ou seja, do surgimento do regime político dito democrático a sua supressão com o golpe, é o quadro histórico que será submetido ao rigor da análise marxista, com vistas, logicamente, não só a intelecção do processo, como também à organização da luta política em defesa dos direitos democráticos do povo e do socialismo.

A Universidade de Férias se diferencia de todos os cursos que foram ou estão sendo oferecidos nas Universidades por intelectuais pequeno-burgueses. Na Universidade domina, no panorama teórico, um sem números de teorias pouco ou nada científicas, além dos preconceitos políticos característicos do pequeno-burguês. Os intelectuais universitários são, em sua maioria, “Homens de salão”, que no melhor dos casos adotam um profundo centrismo como guia político. Não podem ser a vanguarda da luta revolucionária do povo contra os golpistas, nem oferecer uma compreensão que auxilie nesta luta.

Diferentemente destes, o curso da Universidade de férias do PCO é ministrados por experimentados revolucionários, que dominam a teoria marxista, científica, que são profundos conhecedores da história política nacional e mundial e que participaram ativamente de todo este processo.

Longe do centrismo, a perspectiva é sempre a luta pela revolução proletária, pela defesa dos interesses dos oprimidos e explorados, sem com isso, pelo contrário, dispensar o rigor da ciência marxista. “ Só um partido orientado por uma teoria de vanguarda pode desempenhar o papel de combatente de vanguarda”, a Universidade é expressão da teoria de vanguarda que orienta o Partido, cujo, sentido é a formação do militante, mais apto a luta revolucionária.

Além de todo o conhecimento propiciado pela universidade de férias, contribui para a formação do revolucionário o ambiente e os valores socialistas vividos nesta fundamental atividade.

Coordenado e também ministrado pelo companheiro Rui Costa Pimenta, Presidente Nacional do PCO, o curso terá por como base teórica seu mais novo livro, Golpe de Estado no Brasil: balanço e perspectivas.

Para uma formação revolucionária, que integre teoria e prática, venha para a Universidade de Férias do PCO, o mais tradicional curso de formação teórica marxista do país.

Relacionadas