Golpe de Estado foi contra toda a América Latina

honduras

Na última análise, por oportuno, foi apresentado um balanço político do ano, não apenas lembrando os acontecimentos mas apresentando o significado do que aconteceu. Foi preciso um balanço um pouco mais resumido do golpe de estado.

É preciso relembrar que a onda esquerdista na América latina tem as suas raízes na mobilização das massas. Evo Morales, os Kirchner, Lula, Rafael Correa, o Chavismo, eles seriam uma espécie de progresso natural de uma sociedade democrática, o que não é correto.

A maioria desses partidos de esquerda nem existiam como partidos políticos. Surgiram como fenômeno específico quando assumiram o poder. Na crise da Bolívia, Evo Morales surge e assume a presidência, até hoje, por exemplo.

O PT foi teve candidato à presidência da república em diversas oportunidades e foi bloqueado pela burguesia. Em 2002 se chegou a um acordo para que o PT assumisse o poder. Na argentina o kirchneerismo assumiu o poder como resultado do argentinazo.

Então, a implantação de governos de esquerda na América Latina obedeceu a um fator comum e muito bem definido que foi a mobilização das massas em todo o continente. A Ascensão da esquerda é resultado da insurreição das massas no país. Não fosse isso não teríamos, por exemplo, o governo Lula.

Essa insurreição das massas é o resultado do mais completo fracasso da política neoliberal. No Brasil, ela passou por uma série de crises, tendo sido implantada por Fernando Henrique Cardoso, que quase levou o país à falência. De conjunto na América Latina, a situação chegou a tal ponto que aconteceu insurreição no continente inteiro.

A única coisa que Bolsonaro vai conseguir de fato é aumentar o lucro das empresas que estão cortando no osso o povo brasileiro.  No momento em que começa o golpe de Estado houve uma discussão sobre se o PT era ou não um partido de esquerda. Discussão que já desapareceu do mapa neste momento.

O imperialismo organiza todo um plano, ao contrário da esquerda, que fica no mundo das nuvens, querendo eleger deputados.

O governante, nesse sentido, sempre é um funcionário da burguesia, trabalha como mordomo. Em um certo sentido está acontecendo com Bolsonaro também, que está sendo obrigado a colocar determinadas pessoas em determinados postos.

Chegou um momento que o imperialismo resolveu acabar com a esquerda no poder nos países da América Latina. O primeiro foi Honduras, com um governo deposto por um golpe de Estado. Mas este não foi um caso isolado. Era um limite à expansão dos governos nacionalistas. Na América Latina todos os países tinham governos de esquerda.

Não se trata de um problema nacional, mas internacional.