Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
caminhoneiros
|

Uma das regras fundamentais do sistema capitalista, é a seguinte: quem tem dinheiro manda. A justiça burguesa no Brasil trata os trabalhadores de uma forma e grandes empresários e latifundiários de outra. Mais uma vez, o dinheiro, que compra as mercadorias e as pessoas, comprou o governo, que, “cedendo” para o lado mais forte, mudou a tabela de preços dos fretes para favorecer os latifundiários (“agronegócio”) e retirar o valor dos caminhoneiros.

A tabela que foi fechada como parte das negociações com os caminhoneiros para encerrar a greve, diminuiu irrisoriamente os valores do diesel – 0,46 centavos por litro – e elevou os custos do frete em até 150%. Só que nesse jogo de poder, a força da bancada ruralista vence, pois os caminhoneiros não têm bancada, nem terras, nem bilhões de dólares em contas no exterior, nem milícias armadas etc.  

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, afirmou que a tabela de preços mínimos de frete “é extremamente elevada, praticamente inviabiliza o setor produtivo” e, por isso, será revisada. Segundo ele, os cálculos da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), responsável pela elaboração da tabela, foram “muito corridos” para atender à demanda dos caminhoneiros, e alguns cálculos foram imprecisos. “A ANTT vai trazer para a realidade uma série de coisas e deve propor uma nova tabela de fretes amanhã”, disse o ministro ruralista e golpista.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas