Golpe aumentou extrema pobreza em 13% e número de pobres em 2 milhões

pobreza21

Da redação – Os efeitos do golpe de Estado contra Dilma Rousseff (PT), em 2016, levaram em um ano o Brasil a ter quase 2 milhões de pessoas a mais vivendo em situação de pobreza. A linha da pobreza extrema também cresceu seguindo os mesmos números, segundo o que mostra a Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada nesta quarta-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A pesquisa revelou que em 2016 haviam no país 52,8 milhões de pessoas em situação de pobreza. Em um ano esse número aumentou para 54,8 milhões, expressando um crescimento de quase 4%.

Além de ressaltarmos a dificuldade de qualquer governo acabar com a miséria dentro do sistema capitalista, pois o mesmo depende dela para se manter explorando a mão de obra barata, criando um exército de reserva gigantesco, temos que deixar claro que esses números aumentam exponencialmente no período de governos golpistas da direita. As políticas neoliberais de privatização, destruição dos serviços públicos, dos direitos trabalhistas e aumento no custo de vida da população, jogam o povo trabalhador na miséria completa.

Temos que lembrar brevemente os trabalhadores o que se passou no Brasil no período anterior da história. O governo do PT, assumindo em 2002, com a vitória de Lula, pegou um país afundado em dívidas externas com o FMI, uma miséria crescente, principalmente, no nordeste e que estampavam diariamente as principais capas e jornais com o desastre do neoliberalismo de FHC (Fernando Henrique Cardoso).

Mesmo frente a tal situação de calamidade social, é no mínimo intrigante, que o PT conseguiu criar programas diversos, de luz, água, habitação, universidades federais, gerando milhões de empregos – que foram revertidos em desemprego em dois anos de golpe – sem precisar, em nenhum momento, atacar todos os direitos dos trabalhadores – como estamos vendo os golpistas fazerem, alegando ser necessário por conta da “corrupção do PT”. O período de FHC foi um dos mais corruptos, de entrega das empresas nacionais, como exemplo a Vale, e, somado-se ao da Ditadura Militar de 1964, que criou obras nunca encerradas, roubaram os trabalhadores aos bilhões.

Toda essa miséria é fruto da política dos golpistas de ataque à população, foi para isso que a direita deu o golpe hoje, assim como em 1964, para tirar as riquezas do povo e entregar para os capitalistas. Para caçar os comunistas que organizam o povo para defender seu país e não que são um “perigo terrorista”. Terrorismo de verdade é manter o povo na miséria, escravizado pelo trabalho, pela fome e sem direitos básicos à vida.