Fraude Eleitoral
A Globo emitiu nota, em que usa a pandemia como desculpa para justificar que fará debates apenas com 4 candidatos, uma manobra para exluir a esquerda das eleições
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
jn-globo-eleicoes-2020-william-bonner
Rede Globo, principal ente do monopólio da imprensa capitalista excluirá a esquerda dos debates | Reprodução: Blog do Esmael

Nesta segunda (21), a Rede Globo de Televisão divulgou um comunicado oficial em que condiciona a realização dos debates ao número máximo de 4 candidatos participantes. Com a desculpa da pandemia, a Globo, principal veículo do monopólio da imprensa capitalista golpista, anuncia que excluirá a esquerda, sobretudo o PCO, dos debates das eleições de 2020.

A desculpa da Globo é que

“Desde o início da pandemia, a Globo tem se esforçado ao máximo para esclarecer o público sobre como evitar o contágio pelo coronavírus. Como prestam um serviço essencial, seus jornalistas não pararam de trabalhar, mas seguem um rígido protocolo para evitar ao máximo que adoeçam.

No planejamento para cobrir as eleições municipais, acreditou-se que o país chegaria a outubro com taxas de contágio sob controle, o que, infelizmente, não ocorrerá. Há outro aspecto: o elevado número de candidatos a prefeito em quase todas as cidades, como Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, para citar apenas três, com dez ou mais candidatos. Isso impõe grandes desafios.”

A Globo, principal responsável pela eleição de Bolsonaro, agora estaria contra o genocídio da população pela pandemia? Óbvio que não. A Globo apoiou todas as medidas fundamentais do governo golpista de Bolsonaro, inclusive a abertura total da economia, mesmo sem que se tivesse resolvido a pandemia. O objetivo da emissora é claro, excluir a esquerda, especialmente o PCO, dos debates. Isto porque a direita e a extrema direita não são populares, pelo contrário, são odiadas pela população.

Na última terça, ocorreu o debate dos candidatos a prefeito de Porto Alegre. Transmitido pelo IMED, o debate teve a participação de todos os candidatos, incluindo o PCO, que foi representado pelo companheiro Luiz Delvair. O debate foi marcado pela maioria dos candidatos, se não a totalidade, apresentando propostas vazias, enquanto que o candidato do PCO tocava, a todo momento, nas questões fundamentais do momento atual: a luta pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas e Lula presidente, por um governo dos trabalhadores. Esta colocação, inclusive, fez com que em determinada altura do debate a mediadora censurasse o candidato do PCO, baseada na ideia de que é contra a regra proferir ataques pessoais aos candidatos adversários, ou seja, a mediadora entendeu que “fora todos os golpistas” era um ataque a outros candidatos presentes, como o atual prefeito da capital gaúcha, Nelson Marchezan (PSDB).

Se isso foi feito pelo IMED, que é uma universidade privada, imagine o que a imprensa capitalista fará. É por isso que a Rede Globo, que tem defendido a aglomeração de alunos e professores com a volta das aulas presenciais, não quer que mais de 4 candidatos a prefeito debatam, pois isso confrontaria a direita e a extrema direita com os crimes que elas tem cometido contra o povo brasileiro, coisa que a Globo apoia e está alçada na tarefa de ajudar a esconder.

Obviamente que essa medida não é um raio em céu azul, mas sim um desdobramento do que este Diário tem denunciado sistematicamente, as eleições de 2020 serão ainda mais ditatoriais que anteriores. Será a fraude eleitoral 2.0.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas