Globo enquadra Haddad em entrevista no Jornal Nacional

haddad_jn

Na noite da última sexta-feira, dia 15, o Jornal Nacional da Rede Globo entrevistou o atual candidato do PT a presidente, Fernando Haddad. Depois que o PT oficializou a candidatura de Haddad para a presidência da República a imprensa burguesa fez questão de dar destaque ao candidato para que Lula seja esquecido.

A entrevista seria neste sentido para que Haddad aproveita-se o espaço do Jornal Nacional para justamente falar de Lula e toda a perseguição política que o ex-presidente sofreu em grande parte, pela própria Rede Globo, para levá-lo para a prisão.

A entrevista realizada por William Bonner e Renata Vasconcelos, seguiu o modus operandi da Globo para este tipo de entrevista. Uma espécie de inquisição em que os entrevistadores falam mais que o entrevistado, acusam, impõem o debate. A rigor, nada de diferente do que já foi feito com outros candidatos, apesar de que sendo o PT com mais intensidade. Mas algo a se esperar.

O que chamou a atenção na entrevista do “candidato de Lula” foi a postura de Haddad de incorporar o “personagem candidato”, aquele que se comporta respondendo ou tentando responder os absurdos perguntados. Haddad foi levado pelos entrevistadores a não falar nada que pudesse de fato colocar a candidatura dele, a serviço de uma denúncia contra  golpe.

Ao ser perguntado sobre a “corrupção histórica” do PT na Petrobrás e como iria garantir que ele sendo eleito não faria o mesmo, Haddad cometeu o erro básico, entrou no mérito da questão. Diante do golpe de estado em que o PT e seus dirigentes, entre eles Lula, foram perseguidos com as maiores arbitrariedades jurídicas para justificar prisões preventivas, acusações sem provas, campanha intensa na imprensa golpista etc. Ao responder e tentando explicar a “corrupção histórica” do PT Haddad caiu como um “pato” na arapuca da Globo.

Em nenhum momento Haddad denunciou o golpe, a Operação Lava Jato e nem a própria Rede Globo que foi peça fundamental da operação golpista que derrubou Dilma Rousseff e colocou Lula na cadeia.

A respeito de Lula, Haddad apenas desejou boa noite ao ex-presidente, mas não explicou o motivo real de sua ausência. Uma ótima oportunidade para denunciar a perseguição que Lula e o PT estão sofrendo desde o final das últimas eleições de 2014, inclusive toda a operação de propaganda da própria Rede Globo. Ao se adaptar à pressão da Globo na entrevista, Haddad passou do candidato do PT que substituiu Lula, ou seja, o candidato do partido perseguido pelo golpe, para ser mais um candidato que em meio à destruição do país pelos golpistas está apresentando propostas de como consertar o estrago sem colocar em xeque o grande causador desta destruição, o golpe.

A candidatura de Lula combate frontalmente o golpe e foi impedida por todas as formas pelos golpistas do STF e TSE, pela Polícia Federal, pela imprensa golpista etc. Haddad tem a missão de substituir Lula, ou seja, manter a ofensiva contra o golpe, mas não está demonstrando isso. Se a campanha dele não for minimamente contra o golpe não tem sentido nenhum essa candidatura.