Gilmar ataca: “Lula está inelegível e PT não tem plano B”

gilmar0-mendes-AFP-PHOTO-EVARISTO-SA-768x512

Gilmar Mendes, um dos ministros golpistas do STF, declarou nesta sexta, dia 4, que o ex-presidente Lula “é inelegível” por força da Lei de Ficha Limpa. “Não vejo possibilidade de ser candidato a não ser que seja revista a decisão da condenação em segunda instância. E teria que revogar a condenação. Até o Lula sabe disso, me parece, mas não se diz porque o PT, por razões eleitorais, o Lula ainda é ponto de união”, destacou. Também declarou que o PT não tem um plano B.

Além de golpista, Gilmar Mendes virou também comentarista político, traçando panoramas políticos futuros. Isso demonstra que o STF se transformou no poder fundamental do País. No final das contas quem manda no País é um punhado de juízes (que ninguém elege) à serviço dos interesses do grande capital estrangeiro e “nacional”. Juízes golpistas do STF, que tratam a Constituição como um poema, que podem emendar como melhor lhes pareça, querem mandar no Brasil e controlar até mesmo a soberania popular. Nem escolher seu candidato o povo vai conseguir.

Importante destacar que nesses tempos de golpe que vivemos, não é a Lei e muito menos os interesses populares que interessam para estes senhores, é supostamente o direito, usado de acordo com a interpretação dos golpistas.

Fica evidente que não é mais do que ilusão acreditar que o atendimento às reivindicações populares, como a liberdade de Lula e o direito de poder votar no ex-presidente como seu candidato, será atendida por uma “consciência” dos elementos das diferentes alas da burguesia que controlam o judiciário e que se unificaram em torno do golpe de estado.

O próprio Gilmar Mendes ameaça com a lei da ficha limpa que, como ele mesmo lembra foi apoiada pelo PT e por quase toda esquerda (à exceção do PCO) e que agora figura entre as muitas armas a serem usadas contra Lula e toda a esquerda.

A única alternativa dos explorados é a organização e mobilização pela liberdade de Lula e contra o golpe.

Os que são contra o golpe, contra a prisão do Lula devem se organizar em comitês de luta contra o golpe em todo o País. É necessário também ter clareza que que não adianta colocar as esperanças nas eleições. Eleição não é luta, é manipulação da opinião pública.