Genocídio imperialista: 120 imigrantes barrados na Europa morreram no Mediterrâneo

naufragioLibia

Da Redação – Um navio com 120 pessoas afundou no Mar Mediterrâneo próximo da Líbia na quinta-feira, 29. Até agora, 14 imigrantes foram resgatados e ao menos 100 continuam desaparecidos. A ONG Médicos Sem Fronteiras criticou os governos europeus que obrigam as pessoas a permanecerem bloqueadas na Líbia ou morrerem no mar.

O naufrágio ocorreu poucas horas depois de uma reunião do Conselho Europeu, em Bruxelas, na qual os 28 países da UE chegaram a um acordo para resolver a crise imigratória. O acordo, no entanto, estabelece “ações voluntárias” e não cria mecanismos obrigatórios para cada nação cumprir.

O ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, do partido de extrema direita Liga, por exemplo, anunciou que o país fechará os portos durante toda a temporada de verão para qualquer ONG que realiza resgates no Mediterrâneo. “Não seremos os únicos a nos comportarmos assim”, disse Salvini.