Fora Doria, Fora Covas
“Herói do povo”, prefeito paulistano coloca a capital paulista em 13° lugar no número de locais que mais morrem de coronavírus no mundo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
People wear protective face masks at a subway after reports of the coronavirus in Sao Paulo, Brazil,  March 6, 2020. REUTERS/Rahel Patrasso
1 a cada 10 mortos por coronavírus no Brasil é paulistano | Foto: Rahel Patrasso/Reuters

Um levantamento realizado esta semana demonstrou o nível de massacra do coronavírus na capital do estado de São Paulo. A capital paulista alcançou na última quinta-feira, 6, o número de 10 mil pessoas mortas pela doença. Sozinha, São Paulo concentra 41% das mortes de todo o estado.

Se fosse um país isolado, a capital paulista estaria na 13 posição do número de mortos pela doença em todo o globo, na frente de países como: África do Sul, Alemanha, Argentina e Chile.

Dentro de um panorama internacional, 1 em cada 10 mortos coronavírus no país é paulistano.

Mesmo diante desta catástrofe, o prefeito golpista da capital de São Paulo, em conjunto o governador também golpista João Doria, colocaram um fim no isolamento social e se preparam para passar a cidade para a fase verde. Nesta fase fica permitido a abertura de espaços como teatros e cinemas..

Tanto Bruno Covas, como Doria pressionam também para o retorno das aulas na capital e no estado. Primeiramente previstas para setembro, o retorno foi adiado para o início de outubro, por conta da pressão dos estudantes, dos professores e das famílias.

Estes números desfazem por completo a imagem de grandes humanitários e “heróis do povo” de Covas e Doria, imagem esta compartilhada por amplos setores da esquerda.

Tanto Doria, quanto Covas são na realidade verdadeiros carniceiros do povo paulista e paulistano, em nada diferem do fascista Jair Bolsonaro. É necessário destacar  que ambos, Doria e Covas, se elegeram em 2018 tendo como plataforma política a política fascista de Bolsonaro.

Doria afirmou, por exemplo, durante a campanha eleitoral, que durante seu governo a polícia militar iria atirar para matar. Uma promessa cumprida pelo governador tucano, uma vez que a polícia militar do estado de São Paulo bateu recordes no número de pessoas mortas este ano, mesmo durante a pandemia.

É necessário mobilizar a população paulista, paulistana e de todo o país contra a política genocida de Bolsonaro e de todos os governadores e prefeitos golpistas, como João Doria e Bruno Covas do PSDB. Todos eles estão levando em frente o massacre da população.

É preciso impulsionar a mobilização, levantando um programa democrático de reivindicações populares para combater o desastre da pandemia: como a realização de testes em massa, a contratação de médicos e demais profissionais da saúde, a abertura de leitos nas UTIs, entre outras.

É de fundamental importância também levar adiante a luta política contra o regime golpista, levantar as palavras de ordem de Fora Bolsonaro! Fora Doria! e Fora Covas!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas