Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
brasil-incra-general-jesus-correa
|

Em matéria publicada em um portal online na terça-feira, dia 12, o agrônomo e jornalista, Xico Graziano, defende a nomeação feita pelo presidente golpista e ilegítimo, Jair Bolsonaro, de um general do exército para comandar o Instituo Nacional de Colonização e Reforma Agrária, o INCRA. Primeiramente, o autor do texto já foi deputado federal por São Paulo pelo PSDB, além de ter sido um dos coordenadores da campanha do tucano José Serra para a presidência da república em 2010. Tais fatos demonstram a vinculação política e ideológica da direita tradicional com a extrema direita, que hoje está no governo nacional.

Em seu texto, o agrônomo tucano, tece um duro ataque ao Movimento Sem-Terra e defende a tese da extrema-direita de que com um general no Incra “acabou a moleza para o MST”.  Para tentar sustentar seus argumentos, utiliza os velhos bordões da direita e da extrema-direita, de que a reforma agrária só visa sustentar vagabundos, de que os assentamentos são verdadeiras “favelas” rurais, de que o MST seria um movimento composto por “banidos e criminosos.”

O que o direitista de maneira cínica não comenta, no entanto, é a enorme concentração de terras que há no país nas mãos de uns poucos latifundiários. Estes sim, verdadeiros bandidos e criminosos, utilizam-se da terra não para sustentar as necessidades da população, mas para especular com o mercado externo, o chamado agronegócio. Em seu artigo também nada fala da situação de extrema opressão e violência que a população sem-terra vive no campo nas mãos dos latifundiários. Estes, para manter o seu domínio sobre as terras, atendendo também aos interesses dos grandes monopólios,  impõem uma verdadeira ditadura no campo, por meio do assassinato de milhares de sem-terras todos anos no país.

Para garantir um controle ainda maior do latifúndio, dos grandes monopólios e dos bancos sobre a produção agrícola nacional, o governo golpista de Bolsonaro nomeou um general interventor para o Incra, o general Jesus Côrrea, com a única função de esmagar os movimentos de luta pela terra, ou seja, os movimentos e organizações que defendem os interesses da população pobre e camponesa, a qual luta por um pequeno pedaço de terra para sobreviver.

A nomeação de um militar para comandar o Incra é, portanto, parte da política de ataque às organizações de luta pela terra, em especial ao MST, como fica bem claro na matéria publicada pelo bolsonarista. A única saída é a organização em todos os acampamentos dos comitês de autodefesa para resistir, de maneira coerente, à violência provocada pela extrema-direita golpista.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas