Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bolsonaro mourao
|

Nesta sexta-feira, dia 07 de setembro, o candidato a vice-presidente da república, General Mourão, que faz parte da chapa de Jair Bolsonaro admitiu que existe a possibilidade de ocorrer um Golpe Militar no país. A declaração do general ocorreu durante uma entrevista do candidato à GloboNews e mais uma declaração que indica o caráter acentuado da polarização política no país.

O General afirmou que o Golpe Militar poderia ocorrer em um cenário de “anarquia”, e que essa possibilidade seria uma espécie de “autogolpe” por parte do Presidente sendo apoiado pelas Forças Armadas. Mourão, um notório golpista, afirma ainda durante a entrevista que uma intervenção dos militares sobre as instituições, mesmo contra a própria Constituição, seria uma possibilidade para garantir a estabilidade do regime político. A verdade é que os militares, diante da profunda crise do regime burguês e do sistema capitalista em geral, estão estudando diversas possibilidades com a intenção de assegurar os interesses econômicos dos grandes empresário e capitalistas estrangeiros.

Segundo o general golpista, a Constituição pode ser “interpretada” e isso daria margem para um Golpe conduzido pelos militares. De acordo com o candidato a vice-presidente, a atual situação não caracterizaria uma “anarquia”, mas é possível que as turbulências na vida política nacional encaminhem o quadro politico para um cenário desse tipo.

Em outro ponto da entrevista o general defendeu também o Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, que faleceu em 2015 e era um notório líder de aparelhos repressivos durante a ditadura militar brasileira. Durante sua atuação no DOI-Codi centenas de pessoas foram torturadas e mortas, além de um enorme número de desaparecimentos. No entanto, segundo o General Mourão, Ustra teria sido um “herói” e, nas palavras do próprio Mourão, “excessos foram cometidos? Excessos foram cometidos. Heróis Matam.”.

A entrevista do General Mourão deve ser entendida como mais um sinal claro de que existe um avanço cada vez mais organizado de forças reacionárias que fazem parte dos aparelhos de repressão do Estado. As Forças Armadas agem sempre em favor da dominação dos capitalistas e para isso passam por cima dos direitos da população e rasgam a Constituição brasileira. É preciso denunciar o avanço dos militares e lutar para barrar qualquer possibilidade de Golpe Militar, combatendo a direita nas ruas e fortalecendo as organizações da classe operária.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas