“Não estica a corda”
Com medo do levante das massas no Brasil e no mundo, o general se finge de democrata mas deixa escapar a nova ameaça de golpe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
o-general-luiz-eduardo-ramos-baptista-pereira-1532794425872_v2_450x450 (1)
General golpista no governo | Foto: divulgação

Em entrevista para as páginas amarelas da Revista Veja, publicada nesta sexta-feira (12), o Ministro da Secretaria do Governo, general Luiz Eduardo Ramos, ameaçou o povo mais uma vez de golpe militar: ”

sobre a possibilidade de um golpe militar no Brasil, o ministro chefe da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, afirmou que “o outro lado tem de entender também: não estica a corda”.

Enquanto, cinicamente, defende que o presidente fascista nunca teria defendido o golpe, afirma ser “ultrajante e ofensivo dizer que as Forças Armadas, em particular o Exército, vão dar golpe, que as Forças Armadas vão quebrar o regime democrático. O próprio presidente nunca pregou o golpe”.

A extrema direita nazista que ocupa o governo deve achar que o povo tem a memória curta. Bolsonaro, em toda sua carreira política, e antes, sempre defendeu os golpes militares. A aniquilação da esquerda, a tortura, sair em atos em meio a pandemia para falar aos apoiadores o golpe, tudo isso está até mesmo na imprensa capitalista.

O presidente nazista do Brasil não se defende o golpe como, antes das eleições fraldadas, defendeu “metralhar a petralhada toda”.

Os militares são todos defensores de um golpe militar e as provas estão na imprensa mundial. De nada adianta um general que não deveria estar onde está, pois lugar de milico é no quartel, vir à público dizer mentiras no momento onde as massas se levantam contra a extrema direita.

Na verdade, a fala do general demonstra o medo da burguesia frente a crise mundial da burguesia. Após o general Hamilton Mourão defender o golpe contra os governadores, e, anteriormente, defender o golpe por aproximações sucessivas, os milicos querem dar uma de democratas.

Se fossem democratas não teriam apoiado o golpe contra Dilma Rousseff e nem teriam ido ao STF ameaçar os ministros na votação que prendeu Lula.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas