General ameaça caso haja “fraude” nas urnas, mas são os militares que controlam as urnas

paulo chagas

Da redação – Os militares que organizaram o golpe no Brasil contra Dilma Rousseff (PT) e ameaçaram o povo e as instituições no caso de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conseguir um habeas corpus no STF, seguindo as ordens do imperialismo norte-americano com a finalidade de roubar as empresas nacionais, vem à público, na pessoa do general da reserva Paulo Chagas, candidato ao governo do Distrito Federal pelo PRP, da posição dos que declararam que controlariam as urnas, para afirmar que talvez haja uma fraude no processo eleitoral.

O general golpista fez uma postagem no Twitter em tom de ameaça neste sábado (13), dizendo: “Se, nos próximos dias, houver mudança nas pesquisas, teremos que por as barbas de molho. Será o prenúncio da fraude. A opinião pública não muda de uma hora para outra, assim como um ateu não se converte ao Catolicismo e, num átimo, se transforma em um papa-hóstias!”.

Como se pode ver por todo o Twitter do general, a campanha de mentiras contra o PT é constante, com acusações sem fundamento algum, chamando de organização criminosa e mantendo ataques constantes de todas as formas possíveis.

É preciso uma denúncia ampla contra esses generais que estão ameaçando os trabalhadores e suas organizações, pois, nenhum golpe de Estado é organizado sem a participação do Alto Comanda do Exército do país e no Brasil não é diferente. Os militares já disseram, na pessoa de Hamilton Mourão, que controlariam as urnas, colocando um grande contigente em diversas cidades e ameaçando na televisão os partidos de esquerda. O Partido dos Trabalhadores deve denunciar essa situação, pois a campanha desses generais é aberta nas redes, mantendo uma campanha gigantesca de calúnias e ataques para destruir um partido de tem imensa base operária e camponesa.

Segue o link do programa Colunistas Causa Operária TV, trazendo uma das diversas denúncias que o PCO está fazendo contra o avanço dos militares contra os trabalhadores e rumo a uma Ditadura Militar: