Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
DJcazBhX0AAC-gM
|

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo na última semana, o alto comandante do Exército, o general Eduardo Villas-Bôas, afirmou que a decisão da Organização das Nações Unidas, a ONU, favorável à candidatura do ex-presidente Lula, é uma tentativa de invasão da soberania nacional. O general declarou ainda que “o pi​or ce​ná​rio é ter​mos al​guém sub ju​di​ce, afron​tan​do tan​to a Constituição quanto a Lei da ficha limpa, tiran​do a le​gi​ti​mi​da​de, di​fi​cul​tan​do a es​ta​bi​li​da​de e a governa​bi​li​da​de do fu​tu​ro go​ver​no e di​vi​din​do ain​da mais a so​ci​e​da​de bra​si​lei​ra. Um claro ataque do general golpista a Lula, uma defesa das arbitrariedades do judiciario contra o candidato petista, principal liderança popular do pais.

Villas-Bôas também demonstrou apoio a Bolsonaro, o candidato da extrema-direita, repudiando o suposto atentado ocorrido contra o candidato fascista.

Apesar de falar de defesa da soberania nacional quando se trata de Lula, Villas-Bôas não diz uma palavra sobre a política de entrega total e completa do patrimônio nacional realizada pelo governo golpista.

Ha dois anos os golpistas vêm entregando de bandeja para o imperialismo a indústria nacional e as riquezas do país. A lista é enorme, Petrobrás, pré-sal,  Embraer, Eletrobrás, Aquífero Guarani, Correios, isso sem falar nas operações militares norte-americanas na Amazônia. Não seriam esses fatos uma clara violação da soberania nacional?

Sobre isso, no entanto, o general Villa-Bôas se cala. Não diz nada também em defesa de seu colega de farda, o almirante Othon Luiz, o pai do programa nuclear brasileiro, preso de maneira completamente arbitrária a mando do imperialismo. Sobre esses ataques ao país, Villas-Bôas e o demais generais se calam revelando a completa subserviência do Exército, de seu alto-comando, aos interesses estrangeiros, dos bancos, dos grandes monopólios, do próprio imperialismo.

Villas-Bôas somente se pronuncia para fazer ameaças ao povo brasileiro. Quando fala em violação da soberania nacional, na realidade está falando em violação dos interesses golpistas, da direita, da burguesia. O Exército, assim como o Judiciário e as demais instituições agem a favor do golpe. Diante da crescente polarização política, do apoio cada vez maior da população a candidatura de Lula, os militares ameaçam com um golpe militar para calar, censurar, perseguir e torturar o povo, como já fizeram antes na história . Querem impedir por meio da força que o povo se mobilize e derrote o golpe e a destruição de seus direitos.

É preciso não se curvar diante da chantagem dos militares golpistas e lutar até as últimas consequências em defesa da candidatura de Lula, de sua liberdade. O único caminho para a derrota da direita é a mobilização revolucionária das massas.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas