Ataque fascista
Guarda nazista ataca comerciantes em São Bernardo do Campo, comerciantes são vítimas da GCM.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
2020112482448 (1)
Comerciantes são vítimas da GCM. | Reprodução internet

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) protagonizou, nesta semana, mais um ataque contra a população paulista. Em São Bernardo do Campo, uma das principais cidades do ABC paulista, a GCM atacou um grupo de comerciantes locais com o pretexto de “excesso de barulho”.

O ocorrido foi gravado em vídeo e divulgado por toda internet, mostrando o guarda municipal fascista dando socos e pontapés na porta de um estabelecimento comercial. Enquanto o mesmo se exaltava, exigindo falar com o dono do estabelecimento, moradores locais buscaram intervir.

A responsável pelo vídeo exibido nesta matéria, expôs no momento a total arbitrariedade. De acordo com a moradora, o som do qual o guarda municipal apontava era um som constante vindo de uma empresa na região.

Porém, ignorando a declaração da moradora, o guarda continuou a quebrar a porta do local e exigir que a moradora parasse de gravar, atacando um direito democrático básico.

Após a histeria do guarda, o mesmo ainda se dirigiu ao estacionamento próximo, continuando a atacar os comerciantes.

Como demonstrado no vídeo, a Guarda Municipal atua como uma organização fascista, tal como a Polícia Militar. Sua principal diferença é o peso de seu armamento, que por enquanto, é inferior, pois por outro lado, suas atitudes de nada diferem da tradicional repressão contra o povo, organizada pela PM.

Dessa maneira, como organização fascista de nada tem a ver com o problema da segurança pública. Contudo, a mesma é hoje foco de grande demagogia por parte da esquerda pequeno-burguesa.

Um dado importante é que o próprio guarda que aparece em vídeo é um defensor da supremacia branca.

Adenilson Vaz, é subinspetor da GCM, e em sua conta pessoal no Facebook não esconde fazer parte de uma seita denominada Asatru Assembly, grupo norte europeu e defensor da supremacia branca.

O agente também já comemorou em suas redes sociais o aniversário de Alexander Rud Mils, admirador do nazismo e re-fundador do paganismo germânico, que se beseia no nacionalismo e chauvinismo alemão.

Em sua própria página, Ademilson replica o vídeo divulgado na internet e coloca-se como orgulhoso de seus atos.

Chama a atenção, que em meio a tamanha repressão, como demonstrada em vídeo, a candidatura de Guilherme Boulos (PSOL), na própria capital de São Paulo, saiu em defesa da GCM.

De acordo com Boulos, a mesma GCM que massacra o povo, necessita receber melhores investimentos por estar “sucateada”. Em recente declaração Boulos criticou o fato da GCM paulista ter “menos efetivo que a GCM do Rio, sendo que SP tem o dobro da população”.

Os dados são verdadeiros, contudo a “pequena” GCM de São Paulo tem hoje mais de seis mil agentes apenas na capital. Um outro ponto importante é sua declaração quanto ao que fazer com a própria organização.

Indo na contra mão da clássica política da esquerda contra a repressão, Guilherme Boulos criticou o PSDB por “investir pouco” nos principais aparatos de repressão contra os trabalhadores.

De acordo com Boulos “quando eu critico [os aparatos de repressão], Bruno [Covas], a política de Segurança eu não estou criticando individualmente os policiais militares ou os guardas civis. Aliás, a Polícia Militar que o PSDB desmonta, desvaloriza, não faz aumento salarial. Assim como não faz com a Polícia Civil. Eu conversei com guardas municipais. Eles estão desvalorizados, estão desprestigiados pelo seu governo e do Doria”.

A “falta de prestigio”, segundo Boulos, seria o principal problema da organização. Analisando o vídeo acima, imagina-se o que pode acontecer caso a própria GCM adquira tais “prestígios”.

Além do mais, o candidato da Frente Ampla declarou que ainda pretende realizar concursos públicos para a GCM nesta terça-feira, em uma reunião realizada com integrantes da própria organização.

Tentando disfarçar sua política totalmente criminosa, Boulos culpou o PSDB pela mentalidade repressora. Segundo ele “eu critico a política do PSDB que orienta, sim, para o extermínio, tantos casos que aconteceram, Bruno. Ou você vai silenciar para eles? O caso do jovem Guilherme no Jardim Miriam, que foi assassinado, levado da porta da sua casa e assassinado por policiais. Eu conheço mães e pais que perderam seus filhos. É a política que seu partido leva no governo do estado há 30 anos.”

Ou seja, não é a organização que seria fascista, mas sim a forma como que ela é usada. Tais declarações revelam um total conluio da Frente Ampla com a burguesia. Boulos de nada propõe diferente em comparação aos tradicionais candidatos do PSDB.

Este é um problema importante. O que irá mudar com Boulos no poder? Os comerciantes deixarão de ser reprimidos? O trabalhador passará a ser melhor tratado pela fascista GCM? Se depender de suas declarações, nada mudará.

Enquanto isso, os comerciantes em São Bernardo do Campo continuam sendo reprimidos pelos fascistas repressores. O que acontece no vídeo publicado, não passa de uma rotina para todos os trabalhadores.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas