Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
People queue for fuel at a petrol station in Rio de Janeiro, on May 28 2018 on the eighth day of a strike to protest rising fuel costs in Brazil.
A truckers' strike paralyzing fuel and food deliveries across Brazil entered an eighth day Monday but with hopes of relief after unpopular President Michel Temer caved in to the strikers' key demand. / AFP PHOTO / Carl DE SOUZA
|

Da redação – A gasolina produzida pela Petrobras saiu das refinarias nesta sexta-feira (24) com o maior preço médio desde a greve dos caminhoneiros, em maio. Na ocasião, o valor do combustível chegou a R$ 2,0867 em meio à crise gerada pelos motoristas que paralisaram o País por 10 dias. Desta vez o preço do litro chegou ao provocativo patamar de R$ 2,0544, puxado pela alta do dólar das últimas semanas.

O alto valor da gasolina também é consequência direta da nova política de preços da Petrobras, implementada pelo ex-presidente da petroleira, Pedro Parente, que pediu demissão logo após o fim da greve. Pela nova política, os preços são baseados no valor do barril no mercado internacional.

Desde julho, o valor do diesel está congelado nas refinarias a R$ 2,3016 reais por litro, por conta de um subsídio do governo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas