Fux diz que usará imprensa mentirosa para determinar verdade nas eleições

Fux

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux se tornou supostamente o principal defensor, naquela corte, da luta conta as fake news. As fake news – que podem ser traduzidas como “notícias falsas” – vêm sendo intensamente discutidas pela imprensa burguesa desde 2016, quando o atual presidente dos EUA Donald Trump foi apoiado por uma série de blogs e sites que concorriam com os grandes portais de notícia pertencentes aos monopólios internacionais.

A discussão sobre as fake news – isto é, a discussão de que boatos e matérias infundadas poderiam definir os rumos de um país – tem levado a imprensa burguesa a clamar pela censura e pela perseguição política. Obviamente, as notícias que serão consideradas falsas pelo Judiciário golpista não serão as da Veja, da Folha de S. Paulo, da Rede Globo e de toda a imprensa golpista – especializada em mentir para população -, mas serão justamente aquelas que questionem e denunciem o governo golpista.

Recentemente, veio à tona uma informação que só comprova que a “busca da verdade”, assim como a “luta contra a corrupção”, é apenas mais um instrumento do imperialismo para esmagar seus adversários: o Google e o Facebook estão sendo convidados para participar das discussões de combate às fake news.

A participação do Google e do Facebook nas discussões sobre fake news é ridícula. Afinal, são estes os principais promotores da censura e da propagação de calúnias na internet. Já foi provado exaustivamente como o Facebook, por exemplo, boicota as postagens relacionadas a conteúdo político de esquerda. Assim, o plano de golpistas como Fux é utilizar a imprensa mais mentirosa para determinar a verdade – é legalizar e fortalecer a mentira na imprensa, especialmente nas eleições.

O avanço das discussões sobre as fake news mostra o empenho dos golpistas em acabar com todo o direito de manifestação das organizações de esquerda; Por isso, é necessário fortalecer a imprensa operária e os comitês de luta contra o golpe, mobilizando os trabalhadores para enfrentar de maneira decisiva contra os golpistas.