“Furacão” visita tricolor paulista e arranca classificação para a próxima fase

SP x ATL

O Atlético Paranaense realizou uma grande proeza, neste meio de semana, em partida realizada pela quarta fase da Copa do Brasil. O rubro-negro paranaense foi até a capital paulista para enfrentar o São Paulo, em partida realizada no Morumbi.

Era o confronto de volta das duas equipes, onde estava em disputa a ida para a próxima fase. No primeiro confronto, vitória do rubro-negro da “Baixada”, que fez 2 x 1 e levava a vantagem do empate para garantir a classificação.

E tudo parecia estar encaminhado para frustrar os planos do Atlético-PR, pois os donos da casa abriram 2 x 0 ainda na primeira etapa, encaminhando a classificação. Valdívia e Nenê marcaram para o tricolor, que foi muito superior ao adversário em todo o primeiro tempo, onde poderia inclusive ter ampliado o marcador. Mas aí começaram aqueles momentos que não se conseguem  bem explicar. De repente o time entra numa zona cinzenta e permite o início da reação adversária. Aos 39 minutos, o juiz marcou um pênalti contra o São Paulo – que de fato existiu – e o atacante atleticano Guilherme, converteu.

Na segunda etapa – parecendo abalado com o gol do Atlético – o time tricolor voltou completamente apático, nem parecendo o mesmo time do primeiro tempo. O time paranaense foi para cima, percebendo a possibilidade de poder chegar ao empate e garantir a classificação. o São Paulo pouco atacou na etapa complementar e ainda deu espaços para o Atlético passar a criar as oportunidades. E logo aos seis minutos a superioridade dos rubro-negros se traduziu em resultado. O ataque atleticano trocou passe na defesa tricolor e a bola foi cruzada rasteira para a conclusão de Matheus Rossetto, sem chances para Sidão. Daí para frente, o “Furacão” demonstrou frieza e serenidade para administrar a vantagem que lhe garantiu a classificação. Mais uma vez o tricolor do Morumbi deixou escapar a classificação dentro de casa, a exemplo do que acontecera na mesma competição no ano passado, quando foi eliminado pelo Cruzeiro diante de sua torcida.

Taça Libertadores – Vasco é goleado na Argentina e se complica no grupo da morte

Dois jogos marcaram a terceira rodada do Grupo E da Libertadores, onde se confrontaram Racing-ARG x Vasco da Gama e Universidade de Chile x Cruzeiro. O destaque negativo ficou por conta da goleada que os brasileiros do Vasco da Gama levaram dos argentinos do Racing, em Avellaneda, próximo à capital portenha. Os argentinos foram impiedosos com os cruzmaltinos e fizeram 4 x 0. O fato ainda mais curioso é que o time do Racing ainda desperdiçou dois pênaltis, defendidos pelo bom goleiro vascaíno Martim Silva. O Vasco pareceu não ter entrado em campo, pois foi completamente dominado pelo adversário. É hora de reagir, pois a situação agora ficou muito, mas muito complicada para o time brasileiro.

Na outra partida, também pelo mesmo Grupo E, o Cruzeiro visitou os chilenos do Universidad de Chile necessitando da vitória para não se complicar. O time brasileiro, no entanto, sentiu a pressão e não conseguiu jogar bem. O time mineiro não soube articular as boas jogadas do seu ataque, com Thiago Neves e o bom atacante uruguaio De Arrascaeta. Mano Menezes ainda tentou dar nova dinâmica ao ataque, substituindo o uruguaio por Sassá, que até ameaçou a defesa chilena, mas sem efetividade nas conclusões. Do lado chileno, o Universidad de Chile demonstrou apenas boa disposição – empurrado por sua torcida – pois é um time muito limitado tecnicamente, sem recursos, sem criatividade.  Final de partida, empate em zero a zero, resultado muito ruim – embora não desastroso como para o Vasco – para os cruzeirenses.

Os times brasileiros ficaram em situação muito difícil no Grupo E, particularmente o Vasco, que soma apenas 1 (um) ponto, alcançado no empate com o Cruzeiro. Já  o Cruzeiro está na terceira colocação, somando 2 (dois) pontos.

É hora de reagir. As duas equipes brasileiras ainda estão com chances, pois fazem duas partidas dentro de casa e podem se recuperar. Mas a vitória tornou-se agora uma obrigação, na verdade, a única opção para Cruzeiro e Vasco.