Ataque a soberania nacional
De acordo com os cálculos do Ineep valor de mercado da unidade baiana seria entre US$ 3 bilhões e US$ 4 bilhões
rlam - petrobras - 09-02-2021
Refinaria Landulpho Alves (Rlam) na Bahia | Foto: Reprodução
rlam - petrobras - 09-02-2021
Refinaria Landulpho Alves (Rlam) na Bahia | Foto: Reprodução

De acordo com site de noticias da CUT Brasil, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) denuncia que a Refinaria Landulpho Alves (Rlam) está sendo vendida para o Mubadala Capital, fundos dos Emirados Árabes Unidos, pela metade do preço.

A refinaria localizada no município de São Francisco do Conde, na Bahia, a primeira refinaria do Sistema Petrobrás e segunda do país em capacidade de processamento, foi vendida pelo no dia de ontem – segunda-feira – pelo valor de de US$ 1,65  bilhão.

Cálculos do do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Ineep) mostram que valor de mercado da unidade baiana seria entre US$ 3 bilhões e US$ 4 bilhões.

“A RLAM recebeu investimentos de R$ 6 bilhões somente em hidrotratamento nos últimos dez anos. No entanto, a refinaria está sendo vendida por pouco mais que isso, num momento economicamente ruim em todo o mundo”, aponta Deyvid Bacelar, coordenador geral da FUP.

“E não é apenas a planta de refino que está sendo vendida a preço de banana, mas toda a infraestrutura de armazenamento e escoamento da RLAM. São quase 800 quilômetros de dutos, fora os tanques de armazenagem. É um péssimo negócio para a Petrobrás, para a Bahia, para o Nordeste e para todo o Brasil”, pontua o dirigente.

Bacelar ainda reforça o quanto a população baiana e de todo o Nordeste poderá sofrer ainda mais com combustíveis mais caros com a venda da refinaria.

Relacionadas
Send this to a friend