458183
|

No terceiro dia da greve dos funcionários públicos municipais de Porto Alegre RS, estão lutando pelo pagamento do décimo terceiro salário de dezembro de 2018 e pelo projeto de lei que acaba com a carreira na prefeitura.

Na terça-feira (26),os municipários começaram a greve, com a paralisação de diversos serviços que são ofertados pela prefeitura da cidade de Porto Alegre. São 14.800 servidores na ativa – além de 15 mil já aposentados, a categoria mais ativa é a dos professores, devido ao diversos ataques promovidos pelos golpistas.

“Estamos buscando a maior paralisação da história da categoria”, afirmou Jonas Tarcísio Reis, membro da direção do Sindicatos dos Municipários de Porto Alegre (Simpa).

O PL 02/19 que tramita na Câmara dos Vereadores de Porto Alegre, esse projeto extingue a progressividade do percentual de regimes, assim como os adicionais por tempo de serviço. Além disso, ela altera os avanços de salário de 5% a cada cinco anos para 3% a cada três anos e muda as regras das Funções Gratificadas (FGs).

A principal mudança é a de incidência de reajustes sobre a base do salário e não mais sobre os adicionais, isso achataria os vencimentos que já não são repostos de acordo com a inflação há dois anos.

Essa situação vem se colocando desde o ano passado, onde os municipários também fizeram uma greve contra um projeto de lei parecido com o 02-19, que se colocou novamente para votação.

Somente uma mobilização nacional vai barrar todos as medidas descabidas que estão sendo colocadas em práticas contra os trabalhadores. Fora Bolsonaro e Todos os Golpistas!

Relacionadas