Funcionários da Amazon fazem greve por melhores condições de trabalho

15429990525bf84c0cb7f4d_1542999052_3x2_rt

Funcionários de sete centros de distribuição da empresa Amazon entraram em greve nesta segunda-feira, na Alemanha e na Espanha. A greve coincide com os dias de superpromoção da empresa, que será nesta semana. Os funcionários denunciam os baixos salários e as precárias condições de trabalho.

A empresa, um monopólio norte-americano do ramo de comércio eletrônico de produtos, além dos baixos salários pagos aos seus funcionários, tem passado por cima das negociações coletivas feitas com os sindicatos e demais entidades dos trabalhadores.

A greve é importante, mesmo sendo em uma categoria ainda muito desorganizada, pois é um sinal de que os trabalhadores começam a se mobilizar diante das péssimas condições de trabalho imposta pelo capitalismo. Nesse sentido, a greve de um setor desorganizado revela a profunda crise que vive o sistema capitalista.

Outro fator importante é que a greve acontece em um país avançado, do ponto de vista capitalista, além de ser uma greve contra um dos monopólios empresarias mais importantes do mundo hoje, o que só aponta a profundidade da crise econômica.