Frente parlamentar da juventude: mais demagogia para manter o regime político em pé

cidegomes2

Nesta quarta-feira, dia 24 de Abril, foi lançada no Senado a “frente parlamentar em defesa da juventude”. O presidente da comissão, que inclui deputados e senadores, é o deputado Julio Cesar Ribeiro (PRB-DF). O grupo é composto por mais de 198 parlamentares, como os senadores Cid Gomes (PDT-CE) e Randolfe Rodrigues (REDE-AP).

Segundo os nobres parlamentares e a imprensa oficial do Senado: “Entre as finalidades da frente estão a de acompanhar, propor e analisar proposições e programas que disciplinem todos os assuntos referentes às políticas públicas de juventude, bem como realizar eventos com objetivo de difundir medidas legislativas necessárias à regulamentação do segmento, entre outras”.

O senador que elaborou o parecer favorável a formação da frente foi Irajá (PSD-TO). “Garantir a efetividade do Estatuto da Juventude é reforçar um pilar essencial para que a maior geração de jovens assuma um papel de protagonista na construção do país”, disse.

Como o acirramento da política golpista da direita e com polarização política atual, fica a cada momento mais evidente que as frentes parlamentares são pura demagogia e não exercem um efeito real na conjuntura. As frentes parlamentares em defesa de democracia, por exemplo, não impediram o golpe de Estado e a erosão do verniz democrático do regime.

Por outro lado, essa “frente parlamentar em defesa da juventude” reuniu demagogos com alto nível de moralismo e cinismo, figuras destacadas da lata de lixo da história e entusiastas do golpe de Estado. Além das figuras de vulto, a frente tem um contingente de elementos de menor escalão ligados ao PSD e ao PRB.

O PSD é partido fundado pelo camaleão Gilberto Kassab, que foi prefeito de São Paulo pelo Democratas mas depois compôs, ainda que por pouco tempo, o governo Dilma e o governo Temer. O PRB é o partido fundado pelo bispo Marcelo Crivella e defende os interesse da Igreja Universal e da Rede Record.

Enquanto encena a cretinice parlamentar, essa frente pretende aprovar um reforma na previdência que intenta destruir qualquer chance de aposentadoria dos jovens. Não obstante, a política de entrega do país e perseguição as universidade levada por Bolsonaro com apoio desses partidos condena o futuro dos mais jovens e de todo o pais. A única política possível para os mais jovens e para toda a imensa maioria de explorados da população brasileira é exigir o “fora Bolsonaro”.