Menu da Rede

Anterior
Próximo

Frente fascista: generais e MBL se juntam para defender intervenção militar

Tempo de Leitura: 2 Minutos

Publicidade

Estão previstos para a próxima terça-feira (3), atos por todo país, organizados por grupos como o Movimento Brasil Livre (MBL) e Vem Pra Rua (VPR). A ideia é mobilizar a direita em caminhada favorável à prisão de Lula.

Como se sabe a direita golpista é quem se encontra ilegitimamente no poder atualmente. Sendo assim, contam com apoio direto do Governo Federal e, não obstante, dos militares.

Tal união tornou-se perceptível em reunião que ocorreu dia 26/3, segunda, entre os generais: Rocha Paiva, Luiz Sodré, Luiz Peret e Augusto Heleno e representantes dos principais grupos direitistas, tais quais: MBL, Avança Brasil, Vem Pra Rua, Rua Brasil, NasRuas, República de Curitiba, Instituto Resgata Brasil, Brasil Despertou e Acampamento Lava Jato. Todos os presentes na reunião confirmaram presença no ato.

Com o avanço do golpe, fica cada vez mais evidente qual a real política da direita. Os golpistas propagam a importância do restabelecimento da democracia –sendo eles os próprios descumpridores de suas aclamações–, mas, na verdade, visam encarcerar o maior líder de massas da América Latina, Lula, num processo de total perseguição política a esquerda, seus partidos, lideranças e programas sociais. O objetivo é, então, colocar na ilegalidade todos os movimentos populares.

Os militares vêm cumprindo um papel crucial no que diz respeito a estas perseguições a esquerda, como é visto em sua participação ativa no ato pela prisão de Lula, por exemplo. Como é sabido, o “problema na segurança pública” é só uma desculpa utilizada pela direita para que eles assumam não apenas este papel –de “reestabelecimento”–, mas também importantes ministérios. Uma justificativa para intervenção militar se tornar, novamente, o regime fascista que existia em 1964, porém, dessa vez, de forma muito pior.

É importante que haja uma ampla mobilização popular para barrar esses retrocessos e abusos da direita. Findar, a todo custo, a intervenção militar e derrotar o golpe. Dia 4 todos devem ir as ruas com a palavra de ordem “Cercar e não deixar prender”, em ato contra a prisão de Lula e contra essas atrocidades da corja golpista e fascista que se encontra ilegitimamente no poder e que tornam deploráveis as condições de vida da população, nos mais amplos aspectos.

Populares na Rede
[wpp range="last24h" limit="3"]
NA COTV

2016, Não vai ser na lei, vai ser na marra - Arquivo 29

64 Visualizações 40 minutos Atrás

Watch Now

Send this to a friend