Frente Ampla
Em Florianópolis, o PSOL está formando uma frente ampla com partidos burgueses para isolar o PT
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
logo psol triste
psol | Imagem: reprodução

Em Florianópolis, O PSOL está constituindo sob a sua liderança a frente ampla com partidos burgueses para disputa das eleições municipais. Além dos partidos de esquerda PCB e UP, a frente inclui o grande defensor da frente com a burguesia o PCdoB, e mais ainda partidos burgueses, como o PDT, PSB e REDE.

A formação de uma frente eleitoral com partidos burgueses “progressistas” é apresentada como uma “alternativa de esquerda” diante da candidatura do atual prefeito Gean Loureiro (DEM), que pretende se reeleger. A tradicional justificativa de fazer uma frente eleitoral burguesa contra o candidato mais direitista.

Um dado importante, é que nas eleições municipais de 2018, o PSOL conseguiu ter o segundo e o terceiro vereadores mais votados, o que levou ao PSOL a estabelecer como seu único eixo nos últimos quatro anos, a tão sonhada disputa eleitoral de 2020.

Os “radicais” da esquerda burguesa alimentaram a ilusão que todas as mazelas sociais e econômicas, e todos os problemas serão resolvidos através das eleições. Para “garantir” uma performance eleitoral na capital catarinense, a busca por alianças a qualquer custo foi estabelecida como “ mal menor” pela direção do PSOL. Por sua vez, os setores que se reivindicam da esquerda do PSOL, e que tem a denúncia permanente das alianças de colaboração de classe do PT como mote político, estão mudos como peixes quando se trata do próprio PSOL.

As eleições municipais são apresentadas como sendo tão somente a expressão da realidade local, e como o Brasil é um país continental, com uma enorme disparidade regional, aparentemente cada localidade tem sua própria conjuntura. Agrava-se a isso, o fato que o sistema partidário ser difuso e dispersivo, o que leva a partidos a serem adversários ou inimigos mortais em uma cidade e coligados e parceiros inseparáveis na cidade vizinha, as vezes basta atravessar uma ponte.

Esse emaranhado político não é simplesmente incoerente, como é geralmente salientado, mas é uma maneira extremamente atrasada de manutenção do sistema formal, e permitir os arranjos e esquemas que permitem o compartilhamento de parcelas de poder por grupos e frações de classes, desde os municípios até a esfera federal. Dessa forma, a burguesia e as oligarquias locais estabelecem o funcionamento da dominação política. O chamado presidencialismo de coalizão, em especial a constituição de grandes blocos conservadores de diversos partidos como o Centrão no Congresso Nacional, reproduzido de maneira diversa nos estados e municípios brasileiros, o que dá a impressão de completa incorrência citada.

Nas eleições municipais de 2020, a burguesia pretende realizar um processo eleitoral extremamente manipulada, na verdade, nem campanha eleitoral acontecerá. O objetivo central é fortalecer candidatos ligados aos partidos tradicionais da burguesia, e através de uma série de mecanismos atacar o PT, especialmente os setores lulistas, permitindo um deslocamento do eleitoral para outros partidos “progressistas”.

A frente ampla do PSOL em Florianópolis não é simplesmente uma questão local, é a expressão da política nacional da burguesia de isolar o PT, utilizando-se da esquerda pequeno burguesa como elemento decisivo nesta manobra política. Em Porto Alegre, a frente tem como cabeça de chapa uma candidatura do PCdoB, em Belém, um candidato do Psol, e em São Paulo, tem uma operação coordenada diretamente pela imprensa burguesa, inclusive com apoio de setores do próprio PT para insuflar artificialmente a chapa Boulos/ Erundina (PSOL).

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas