Antônio Carlos Silva

João Caproni Pimenta

Sobre o João

João Jorge Caproni Pimenta é estudante de Letras da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). Militante do Partido da Causa Operária (PCO) e coordenador da Aliança da Juventude Revolucionária (AJR).

Iniciou sua militância política e estudantil em Junho de 2013, quando a juventude e os trabalhadores realizaram uma grande mobilização contra o governo do Estado de São Paulo, então liderado por Geraldo Alckmin (PSDB).

Responsável pela Agitação e Propaganda do PCO, João Caproni Pimenta é editor do Diário Causa Operária e da Causa Operária TV. Também é colunista do Jornal Causa Operária e co-autor do livro “A Era da Censura das Massas”, junto com Rui Costa Pimenta, presidente do Partido.

Jogo de Comadres

Frente ampla em ação: Boulos é frouxo com Covas na eleição

Boulos não quer atacar o PSDB pois este é o jogo da frente ampla: conviver com os golpistas numa boa relação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O segundo turno vai chegando na reta final, faltam apenas 2 dias paras a eleição na maior cidade do País, São Paulo, Guilherme Boulos faz uma campanha…. chata, sem vida ou vontade. Onde foram parar aqueles bons e velhos embates eleitorais burgueses em que um candidato chama o outro de canalha, denuncia seu Partido pelos crimes cometidos, em outras palavras, dá o combate?

Ficaram nas páginas da história no que diz respeito ao PSOL, que sempre falou grosso com o PT e fino com os tucanos e candidatos da Globo. Guilherme Boulos teria conseguido o impensável, chegar ao 2º turno, ele se diz o candidato da mudança, diz que vai “virar o jogo” em São Paulo. Mas quem assiste aos debates e vê a campanha, vê um oportunista eleitoral que não faz aquilo que mais se faz numa eleição: atacar com tudo que se têm o adversário. Não me levem a mal, com Covas e o PSDB, não é preciso inventar nada, basta contar os podres.

“Candidato, o seu partido roubou centenas de milhões dos paulistas no escândalo do Trensalão, planeja, se eleito, piratear o erário público desta forma também?” ou ainda “Covas, seu tio, Mario Covas, e seu padrinho Dória são notórios espancadores de professores que reivindicam salários, vai tratar o professor no chicote se eleito?”, ele poderia entrar com uma boa e velha: “Você dizem que são democráticos, mas deram o golpe contra Dilma, votaram em Bolsonaro e sustentam seu governo, como tem a cara de pau de falar que é honesto?”. O candidato do PSOL poderia ter falado qualquer uma destas coisas ou ainda qualquer uma de 1 milhão de coisas horríveis que o PSDB fez com o povo nos últimos 30 anos, mas a campanha de Boulos se restringiu a dizer coisas como “A prefeitura preferiu obras eleitoreiras, todo mundo viu, calçada nova sendo quebrada, um monte de recapeamento na véspera de eleição, e não fez as obras com o dinheiro que estava lá disponível. Esse dinheiro existe”. Se vai falar da proverbial calçada, podia pelo menos falar o óbvio, os tucanos tão usando o dinheiro para comprar voto.

Isso não é disputa, é jogo de comadres. Nem parece que ele está 8 pontos atrás. Vejamos um exemplo de um direitista, numa situação periclitante, menos que a de Boulos, verdade, mas que quer ganhar a eleição, o Bispo Crivella.

Crivella não quer perder o cargo no Rio de Janeiro, em todos os debates acusa Paes, que tem telhado de vidro, de uma série de coisas, algumas reais, como o descaso com obras públicas, relações com mafiosos da política carioca, outras completamente fictícias como que o candidato do DEM planeja instaurar a pedofilia nas escolas públicas em conjunto com o PSOL. Fake news ou não, absurdo ou não, deplorável ou não, não há como negar que Crivella está jogando tudo que tem contra Paes, tentando manter um eleitorado e conquistar novos. 

Boulos, ao ser atacado por Covas, disse: “Quando Bruno faz isso (atacar usando o problema da Venezuela), me parece desespero. Não é o perfil dele. Ele sempre foi ponderado, não foi para o extremismo bolsonarista de quem só quer atacar.”. Olha só, Bruno Covas o ponderado! Será o mesmo Covas que matou 60 mil nesta metrópole com a COVID-19 ou será o cidadão que aprovou o maldito SampaPrev e liquidou a aposentadoria dos professores municipais?

O debate morno e a campanha insossa tem um sentido claro, quem acompanha a política internacional sabe bem. Este ano Sanders capitulou diante de Joe Biden, muitos da aguerrida militância sandernista dizem que a derrota se deu pois o candidato se furtou de “ir à guerra” contra o mafioso eleito. Ele se furtou mesmo. Raramente a campanha de Sanders mencionava o absurdo de Biden ter tentado estuprar uma funcionária, não levantou o fato de que o candidato quer bombardear metade do mundo, de que ele é parte do pântano corrupto de Hillary Clinton, que ele é o democrata mais pró-Bush que o mundo já havia visto, entre uma série de outras coisas. Não o fez para não queimar pontes, não queria ter que ir a guerra e ter de apoiar Biden depois, não queria ter de ir a guerra e enfrentar o tiroteio que com certeza viria.

Boulos é um homem da frente ampla, o jogo de comadres é isso. Não quer brigar com os futuros aliados. Afinal falar que o PSDB é um partido de ladrões, de ditadores, de amigos do bolsonarismo, golpistas, etc.. etc… não pega bem se você cogita apoiá-los em 2022 contra um Bolsonaro. Contra o Maluf do século XXI, Boulos fechou acordo com Tancredo Neves, Sarney e a Arena, todos vimos como isso acabou nos anos 80, não será diferente hoje.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.