Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Freixo
|

Em entrevista ao programa Faixa Livre da rádio Bandeirantes, o deputado federal do PSOL-RJ, Marcelo Freixo, declarou “Acho que existe um marco que não é mais o da direita e da esquerda, mas temos outro da divisão política que é o marco entre civilização e barbárie”. O psolista disse que o que está acontecendo no Brasil é “assustador”.

Mas o que significa isso? Para Marcelo Freixo, o que está acontecendo no País não é uma luta política, uma luta de partidos, de interesses conflitantes irreconciliáveis, mas o produto de alguma moralidade abstrata. Algo como a luta entre o bem e o mal. No final das contas, até mesmo a direita poderia ser encontrada do lado da “civilização”.

Para o deputado do PSOL, seria preciso então juntar todos os “democratas”: “é necessário chamar os campos comprometidos com a democracia, mesmo com grandes divergências ideológicas, de projetos de sociedade, de concepção de Estado, mas esse marco democrático precisa conversar, pactuar formas de funcionamento da República”. Quem seriam esses “comprometidos com a democracia”. Freixo não explica, nem fala quem são.

Segundo ele, no entanto, todos esses que ele considera democrata poderiam estar juntos contra a barbárie desse governo. Será que o PSDB estaria entre os democratas segundo Freixo? Sim, os tucanos, principais responsáveis pelo golpe de Estado e portanto principais responsáveis pelo próprio Bolsonaro estariam dentro desses nobres democratas. Por isso, Marcelo Freixo é um dos principais defensores da frente ampla, que conta com elementos do PSDB e outros partidos burgueses.

Em quem são os mais interessados em dizer que não existe nem esquerda nem direita? A própria direita, é claro, que precisa esconder sua política anti-povo. Foi assim, inclusive, que começou a política golpista: “meu partido é meu País”, “sem partido”, “o PT e a esquerda dividem o País”.

Freixo não apenas procura de maneira ensaboada defender a ideia de que o PSDB precisa estar entre os “democratas” como também traz de volta a ideologia reacionária do nem esquerda nem direita. Tudo isso para justificar uma política oportunista, eleitoreira e que na prática serve para sustentar o governo Bolsonaro e ressuscitar o PSDB como grandes democratas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas