Fraude eleitoral: PT não pode nem denunciar que a direita foi a favor da prisão de Lula na Bahia

irmão lazaro impeachment

A Justiça Eleitoral se coloca abertamente contra o PT. Não apenas armou para acelerar a impugnação do ex-presidente Lula, a despeito de nem a legislação, nem a jurisprudência respaldarem tal posicionamento, como tem acatado a todos os pedidos de censura contra a propaganda política do partido, procurando eliminar toda e qualquer referencia a Lula.

Na Bahia, candidatos a deputado federal não podem fazer uso da imagem de Lula ou pedir votos a ele, o que foi decidido tanto pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) como mantido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Da mesma forma, o governador do Estado, e candidato à reeleição, Rui Costa do Partido dos Trabalhadores, como toda a coligação estão proibidos de fazer uso aberto da imagem do ex-presidente.

Da mesma forma, em São Paulo, o TRE também proibiu candidatos a deputado federal de fazerem alusão à Lula, o que foi mantido pelo TSE, e o candidato do PT ao governo de estado foi obrigado a retirar Lula de sua primeira campanha por apontar o ex-presidente como candidato à presidência.

Foram vários os programas retirados do ar ou alterados por determinação do TSE, sob pena de multa e até de suspensão do horário de propaganda. Mas o TSE permitiu ao candidato do MDB, Henrique Meirelles a usar o presidente Lula em sua propaganda.

Mas enquanto a direita tem pedido impugnação de candidaturas e a censura de propaganda, o PT não pode sequer denunciar que candidatos foram responsáveis pelo golpe e a favor da prisão de Lula. Foi o que aconteceu na Bahia onde o TRE determinou a suspensão de propaganda da coligação que compõe a chapa do governador Rui Costa que indicava que o  deputado federal e candidato ao Senado, Irmão Lázaro (PSC), teria participado do golpe, na farsa do impeachment da Presidenta Dilma e também apoiado a prisão do ex-presidente Lula.

Embora seja tudo verdade, o TRE entendeu que não se pode denunciar a direita, esclarecer a população sobre quem apoiou Eduardo Cunha e o Golpe de 2016, participou do desmonte dos direitos dos trabalhadores e do ataque violento às já tão debilitadas politicas sociais e à entrega de nossas riquezas ao imperialismo, como o faz o desgoverno Temer.

A fraude está aí para quem quiser ver. Todos os dias por meio da Justiça Eleitoral se persegue militantes e partidos de esquerda, proíbe-se manifestação, faz-se apreensão irregular de material de campanha (se for da esquerda, claro), invade-se centros acadêmicos, reprime-se qualquer ato que denuncie o golpe, incluindo o da prisão política do ex-presidente Lula, entre outras barbaridades. É uma ação coordenada para evitar, ‘dentro da lei’, a promoção de candidaturas de esquerda, para minimizar ou inviabilizar candidaturas – que podem ser até impugnadas por causa de uma vírgula, um ponto, um nome grafado errado, favorecendo a direita em praticamente todos os seus pedidos contra adversários.