Fraude Eleitoral: Globo cancela debate para que Haddad não consiga falar com os eleitores

foto globo golpe

Na última segunda-feira (22), a golpista TV Globo confirmou que não irá abrir espaço ao candidato petista Fernando Haddad falar com o eleitorado na próxima sexta-feira (26), já que o outro candidato, Jair Bolsonaro, não irá comparecer.

E tem que ficar claro: isto é fraude eleitoral, é golpe, é censura!

Apesar de todas as famosas desculpas, fica evidente o boicote da imprensa golpista ao candidato petista, que, afinal de contas, não tem nada a ver com a recusa do fascista Bolsonaro.

É óbvio que a TV golpista não quer dar visibilidade para Haddad na véspera da eleição, porque sabe bem o peso que uma entrevista dele pode ter. Como se sabe, muita gente deixa para escolher seu candidato na última hora, ainda mais quem ainda dá atenção para a imprensa golpista. A TV Globo tem plena consciência da capacidade de manobrar a audiência que tem a emissora, que desfruta dos privilégios de possuir um verdadeiro monopólio da comunicação televisiva.

Não haveria, por exemplo, nenhum impedimento de ordem legal. Ao contrário, a lei eleitoral garante a participação do candidato petista, ainda que seja através de uma entrevista, uma vez que a oportunidade foi aberta aos dois candidatos.

O que não poderia ter ocorrido foi justamente o contrário, a entrevista exclusiva que a Record permitiu ao candidato da extrema-direita justamente no mesmo momento em que ocorria o debate entre os candidatos à presidência, horas antes do primeiro turno.

No caso do Bolsonaro, nem precisou de qualquer desculpa. O próprio Ministério Público Eleitoral limpou a barra da Record: “O MP afirma que a possibilidade do tratamento diferenciado para candidatos que se encontram em situações distintas está prevista na própria lei eleitoral”.

Ou seja, dois pesos, duas medidas. Para o golpismo tudo, para eleições limpas, nada.

Para colocar o fascimo na TV, adaptam todas as situações, mudam combinados e passam por cima de qualquer mínima regra de igualdade. Mas quando o favorecido seria o candidato que a burguesia quer esconder, aí qualquer mínimo obstáculo é desculpa para a mais descarada censura.

A cada dia fica mais evidente que estas eleições representam o pleito eleitoral mais fraudado da história brasileira, deixando para trás até mesmo os da época da ditadura.

Não vai ter nenhuma “vontade popular” representada na urna eletrônica. Pelo contrário, é evidente que outra ditadura está sendo preparada rapidamente e que as eleições são apenas uma das etapas deste golpe.

Somente a mobilização popular independente, através dos comitês de luta contra o golpe, que se reunirão novamente nos dias 08 e 09 de dezembro próximo, será capaz de dar um fim para todas essas pilantragens políticas que querem destruir a verdadeira esquerda nacional e abrir caminho para um flagelo completo do povo brasileiro.