França: “vandalismo” e “terrorismo”, as duas campanhas da direita para acabar com as manifestações contra Macron

16585615

Da redação – Com o aprofundamento da crise política na França, a burguesia francesa está jogando todas as fichas para acabar com as manifestações do povo francês contra a política de ataques do governo de Emmanuel Macron.

As reivindicações são no sentido de um política por mais programas sociais, aumento salarial e assim por diante, contra a miséria produzida nos últimos anos pelo imperialismo.

Dessa forma, com Macron contra a parede, tendo de ceder às reivindicações populares, a burguesia está apelando para duas principais campanhas.

Primeiro, a questão do terrorismo. Estão se utilizando do atentado em Estrasburgo para aumentar a repressão política e fazer apologia para que a 5ª edição das manifestações de final de semana não ocorra.

Da mesma forma, para atacar os manifestantes, falam que estão vandalizando as ruas e que isso é muito prejudicial para a sociedade francesa. Um cinismo, pois a política de Macron é extremamente mais prejudicial a o “vandalismo” é produto dos ataques produzidos pelo governo.

Isso tudo sem falar na questão econômica, que é o que está deixando a direita preocupada. A burguesia está começando a sentir nos bolsos.

Isso tudo demonstra que os coletes amarelos e o povo francês estão no sentido correto. Tem que mobilizar até derrubar e derrotar Macron e a política neoliberal.