França apoia investigação contra a Venezuela para justificar intervenção imperialista

IRAN_-_ONU_-_UE-_US_-_accordo_nucleare

A França emitiu um comunicado oficial dizendo que apoiará o Tribunal Penal Internacional (TPI) para investigar a Venezuela por supostos crimes contra a humanidade. O pedido de investigação foi apresentado na última quarta-feira, 26, por Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Paraguai e Peru.

A decisão foi anunciada através de comunicado da presidência francesa: “A França considera que os esforços do Tribunal Penal Internacional têm como natureza determinar os fatos que levaram a esta crise e contribuir, desta forma, para que se encontre uma saída”. A presidência afirma ainda que “as autoridades venezuelanas iniciem um diálogo com a oposição a fim de reestabelecer o funcionamento democrático das instituições e encontrar uma saída para a crise política e contribuir à retomada da economia venezuelana”.

A iniciativa da presidência francesa de Emmanuel Macron pode aparentar motivos nobres para alguém desinformado, entretanto, é o apoio formal do imperialismo francês à mais uma farsa montada para justificar uma invasão militar contra um país oprimido.

A iniciativa dos países americanos pede uma investigação contra a Venezuela por “prisões arbitrárias, execuções extrajudiciais, torturas, agressões sexuais e estupros”, segundo o ministro argentino das Relações Exteriores, Jorge Faurie. Entretanto, esses tais supostos crimes cometidos na Venezuela são apenas um pretexto para respaldar uma intervenção militar contra governo nacionalista de Nicolás Maduro. Os países signatários desse pedido são governados por conhecidos capachos do imperialismo estadunidense e europeu e estão estregando as riquezas e a economia dos seus países para o capital financeiro internacional, como o governo Macri na Argentina, que quebrou o país e jogou a economia argentina nas mãos do FMI (Fundo Monetário Internacional) novamente.

Além disso, os supostos crimes cometidos pela Venezuela podem ser facilmente percebidos como uma manipulação da realidade, uma vez que foram divulgados pela “ONG” imperialista Anistia Internacional, em um relatório baseado em informações da oposição venezuelana, financiada pelos Estados Unidos para derrubar Maduro.

Os crimes atribuídos ao chavismo, no entanto, são a marca registrada de todos governos e golpes de Estado patrocinados pelo imperialismo norte-americano, como o golpe no Brasil, Argentina, Equador, Honduras etc., onde há a prisão ou ordem de prisão contra líderes da oposição sem qualquer prova (vide o caso de Lula, Rafael Correa, ou Cristina Kirchner). Além da tortura, execuções e violência em geral que são cometidas contra o povo desses países sempre que se insurgem contra governos capachos do imperialismo.

O imperialismo francês também não está na posição de dar lições sobre direitos humanos depois de atacar violentamente todos países que buscaram a sua independência, como a Argélia, e participar de operações militares na Síria e Líbia atacando a população desses países para forçar a mudança do governo desses países.

A suposta investigação é o sinal claro de que o imperialismo está preparando uma intervenção militar contra a Venezuela. É preciso denunciar essa investigação como uma armação e mobilizar o povo brasileiro e latino-americano para resistir contra a invasão militar da Venezuela comandada pelo imperialismo.