Siga o DCO nas redes sociais

Foro de São Paulo: a questão central é a defesa de Cuba e da Venezuela
VENEZUELA-ELECTION-CAMPAIGN-MADURO
Foro de São Paulo: a questão central é a defesa de Cuba e da Venezuela
VENEZUELA-ELECTION-CAMPAIGN-MADURO
Nos próximos dias 25 a 28 realiza-se, em Caracas, a  reunião do Foro de São Paulo
Trata-se da 25ª. edição do encontro, que foi realizado pela primeira vez em 1990, quando partidos da América Latina e Caribe se reuniram a convite do Partido dos Trabalhadores, na capital paulista.
Mais de 120 partidos de 26 países da América Latina e Caribe, integram o Foro como membros e o encontro deste ano tem como tema “Pela Paz, a Soberania e a Prosperidade dos Povos: Unidade, Luta, Batalha e Vitória”
O Partido da Causa Operária (PCO) foi convidado a participar do XXV Foro de São Paulo, na Venezuela, pelo partido-anfitrião, o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), do presidente Nicolas Maduro, e estará representado no encontro pelo companheiro Antônio Carlos Silva, da sua Executiva Nacional.
O encontro tem caráter consultivo, se constituindo em um fórum de debates sobre a situação política, principalmente na América Latina, que se encontra neste momento sob intenso cerco do imperialismo norte-americano, seja na forma dos criminosos embargos econômicos que afetam a vida de milhões de pessoas, contra países sob a direção de partidos da esquerda, como Cuba e Venezuela, seja na forma de golpes de Estado que impuseram, nos últimos anos, em nosso continente
O PCO vai participar do Foro compreendendo a importância de debater e tomar medidas concretas, de luta, no Brasil e em todo o Continente, contra os embargos contra a Venezuela e Cuba e pela expulsão do imperialismo da América Latina e do Caribe.
O que sofrem os venezuelanos é o mesmo sofrimento do povo brasileiro: a pressão de setores da burguesia reacionária e direitista de nossos países no sentido da destruição das economias nacionais em favor  dos interesses do imperialismo norte-americano.
Uma parte da esquerda nacional e internacional não entende a importância decisiva dessa luta e da necessidade fundamental da mobilização da classe trabalhadora, da sua participação nessa luta, como uma questão de vida ou morte para milhões de latino-americanos e caribenhos.
A derrota da esquerda e da classe operária nessa luta tende a dar lugar, como aconteceu nas décadas de 60 e 70, a ditaduras brutais contra a imensa maioria do povo. Em contrapartida, a vitória operária e popular nessa luta pode dar lugar a uma superação da atual etapa de derrotas e abrir caminho para uma significativa evolução de países inteiros de nossa região no caminho da emancipação, da revolução contra a dominação imperialista, na construção de uma verdadeira alternativa dos explorados diante da crise, que precisa ter como um dos seus eixos a unidade da classe trabalhadora latino-americana em torno da defesa de seus interesses contra o grande capital monopolista e imperialista e contra as burguesias “nacionais”, covardes e submissas, diante dos ditames do imperialismo.
Neste Foro, assim como em toda a sua atividade, no Brasil e no exterior, o PCO vai propor uma mobilização unificada, dos trabalhadores e da juventude, em defesa de Cuba e da Venezuela contra as agressões imperialistas e contra os golpes de Estado, materializada, nesse momento, em um vigorosa campanha, inclusive internacional, pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, maior liderança popular e da esquerda do Brasil e da América Latina e Caribe.