Formar comitês e mobilizar contra o golpe: a solução para derrotar os fascistas

jfnd

A escalada do fascismo no cenário nacional se acentuou no último período, e isso devido ao aprofundamento do golpe de estado. O mesmo que deu margem para o seu surgimento e, por consequência também do retrocesso na luta contra o golpe de setores capituladores que hoje apostam todas as fichas nas eleições como meio de derrota ao fascismo, este que emana da candidatura do presidenciável da extrema-direita, Jair Bolsonaro.

Fato é, que as eleições fraudulentas em curso não passam de um mecanismo da burguesia e dos donos do golpe, que evidentemente querem dar seguimento ao curso do golpe, ou seja, essa eleição não foi feita para a esquerda ganhar, tanto é que a maior liderança popular está presa pelo regime golpista. A esquerda, erroneamente se afunda na ideia de que a democracia -diga-se de passagem, democracia burguesa- será restabelecida pela via eleitoral e em segundo o fascismo será derrotado por esta mesma via.

Em nenhum momento se fala da mobilização e organização popular para que se derrote o fascismo nas ruas e expulse a extrema-direita de um espaço que é do povo. A ilusão no processo eleitoral e nas instituições somente irão levar ao massacre direto da esquerda e da população de conjunto. Enquanto não houver uma resposta a altura, os fascista avançam e efetivam os ataques mais brutais , como já tem acontecido.

É urgente que os comitês de luta contra o golpe, sejam fortalecidos e ampliados por todo o País, e que os mesmos organizem a autodefesa dos trabalhadores. O combate ao fascismo só se dá por uma via, é nas ruas enfrentando os fascistas de maneira direta, não há diálogo ou solidariedade com um setor que entende apenas uma linguagem, sendo ela , a força.

Portanto, sem mais ilusão nas eleições fraudulentas, o golpe e o fascismo só serão derrotados nas ruas e pela mobilização popular!!