Formado pelo imperialismo: novo comandante do Exército estudou na escola do exército dos EUA

150662584459cd4934c3e1f_1506625844_3x2_rt

Da redação – O novo comandante do Exército Brasileiro será o general Edson Leal Pujol, escolhido pelo futuro ministro da Defesa do governo ilegítimo de Jair Bolsonaro, o também general Fernando Azevedo e Silva.

Pujol estudou na Escola de Blindados do Exército dos Estados Unidos (Armor School), em Fort Knox.

Tal formação demonstra o vínculo dos militares brasileiros com os Estados Unidos. Desde a década de 1940, militares das Forças Armadas têm realizado estudos de formação no país imperialista, como uma imposição norte-americana e forma de controle das FFAA brasileiras.

Muitos deles foram formados na famosa Escola das Américas, onde o imperialismo treinava os piores torturadores das ditaduras militares na América Latina.

Diversos militares já estão confirmados em postos-chave do governo Bolsonaro. Entre eles, destacam-se os generais Augusto Heleno e Juarez Azevedo. O primeiro, que será chefe do GSI, foi palestrante na Escola das Américas em 2006, e o segundo, que assumirá os Correios, trabalhou na junta interamericana de defesa em Washington.

Trata-se de um governo cada vez mais militarizado e os militares que formarão o governo são muito próximos (para não dizer submissos) ao poder imperialista dos EUA.