Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Venezuelan Defense Minister Vladimir Padrino delivers a speech while surrounded by military men in Caracas on Tuesday. Padrino reiterated the military's
|
Caracas, 8 maio (Prensa Latina)* A Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) recusou hoje as declarações formuladas na véspera com respeito a Venezuela pelo chefe do Comando Sul dos Estados Unidos, almirante Craig Stephen Faller.

 

O alto comando militar estadounidense propôs que a instituição militar venezuelana ‘deve decidir se representa seu povo ou a um tirano’, em marcada referência à manifesta lealdade da FANB ao presidente constitucional, Nicolás Maduro.

De acordo com um comunicado do Ministério da Defesa ‘o almirante Faller demonstra marcada ignorância quanto às tradições libertárias e democráticas’ que caracterizam às Forças Armadas da nação sul americana.

‘Em cumprimento ao juramento de defender a pátria, (…) e muito especialmente a dignidade do povo venezuelano é que temos assumido uma posição firme e inquebrantável para preservar a liberdade, a paz, a soberania e a independência da nação, diante das malévolas ambições do império norte-americano’, indicou o texto.

Agregou que o Governo dos Estados Unidos ‘compra ou permeia, fazendo uma dupla moral, aos que precisamente quebraram esse sagrado juramento’.

A respeito, o Ministério da Defesa assegurou que Washington ‘faz apología de um ato de terrorismo como no último dia 30 de abril, onde se empregaram armas de guerra em uma via pública criando caos e confusão na população civil’.

Assim mesmo, denunciou que os Estados Unidos pretenda legitimar como presidente a quem não tem sido eleito pelo voto popular para esse cargo -em referência ao autoproclamado mandatário ‘encarregado’ Juan Guaidó- e exalta os dirigentes opositores que se colocam à margem da Constituição.

O Governo estadounidense ‘mostra sem pudor nem vergonha sua inconsistência jurídica, ao levantar as sanções impostas a quem faz poucos dias supostamente era um violador dos direitos humanos’.

Nesta terça-feira o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, anunciou o levantamento das medidas coercitivas impostas ao ex diretor do Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin), Manuel Ricardo Cristopher Figuera, um dos supostos se uniram na tentativa de Gople de Estado de 30 de abril último.

‘Os porta-vozes militares dos EUA ignoram, igualmente seus políticos, a realidade nacional e se afundam na prepotência, o cinismo e a dupla moral’, agregou o ministro da Defesa, Vladimir Padrino, através da rede social Twitter.

* Os artigos reproduzidos não expressam necessariamente a opinião deste diário ou do Partido da Causa Operária
Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas