Fora Marchezan: prefeitura de POA é ocupada por diretores do Simpa junto aos municipários em greve

marchezan

Da redação – Nesta terça-feira, 7, por volta das 11 horas da manhã, municipários em greve na cidade de Porto Alegre (RS), ocuparam o Salão Nobre da prefeitura contra os ataques de vereadores direitistas que articulam ataque às condições de trabalho em conjunto ao prefeito Nelson Marchezan (PSDB).

Os funcionários públicos pedem negociação salarial e denunciam a completa falta de diálogo com o prefeito fascista. Pelo menos 200 pessoas estavam no local para se manifestar e segundo o diretor-geral do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), Alberto Terres, os manifestantes só sairiam do prédio depois de realizarem uma mesa de negociação com o prefeito ou um integrante da prefeitura.

Entre no site do Simpa e veja todo plano de destruição do PSDB, tanto na aposentadoria quanto nos planos de carreira.

E para os trabalhadores que querem entender melhor como os tucanos são inimigos dos servidores públicos, segue a íntegra da nota da prefeitura golpista que diz ter interesse em dialogar, enquanto chama a polícia para agredir os trabalhadores.

“Nós queremos discutir os problemas dos servidores do município. Nossa permanência vai depender exclusivamente do prefeito, de enviar pelo menos um secretário aqui para iniciarmos o diálogo”, disse Terres.

Em nota, a administração golpista disse que solicitou a convocação de policiais militares para “detenção e identificação dos infratores invasores.” Leia abaixo a íntegra:

O prefeito Nelson Marchezan Júnior encaminhou, no final da manhã desta terça-feira, 7, ofício ao secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Schirmer, solicitando, em caráter de urgência, a imediata convocação da Brigada Militar (BM) para detenção e identificação dos infratores invasores do Paço Municipal. Marchezan também pediu auxílio da força policial a desocupação do Paço Municipal, invadido por dezenas de pessoas ligadas ao Simpa.

No texto o chefe do Executivo relata que os invasores estão impedindo e ameaçando servidores públicos municipais que estão sofrendo inclusive cárcere privado, não podendo deixar suas salas em razão da possibilidade iminente de agressão.

O prefeito lembra que o Paço Municipal é um prédio histórico tombado dotado de valor patrimonial incalculável com sérios riscos de ter seu valioso patrimônio danificado.”

Resumindo, o prédio, o loca, o patrimônio vale muito, a ponto de ser defendido à força. Enquanto os funcionários que são a base do funcionalismo publico, merecem o fim da aposentadoria pelos golpistas, a destruição dos direitos trabalhistas e até mesmo o fim da estabilidade dos trabalhadores.