“Fora Maduro!”: EUA mobilizam tropas para atender reivindicação das petroleiras e do PSTU

O PSTU (Partido Socialistas dos Trabalhadores Unificados) que se reivindica de esquerda vem há várias anos se colocando contra o chavismo e nesse momento atacando o governo de Nicolás Maduro, com argumentos reacionário e da direita, de que ele é um ditador, que ataca o povo venezuelano, reproduzindo toda a campanha do Imperialismo dos Estados Unidos.

Com essa política, o PSTU vem se tornando um aliado da política golpista do do Imperialismo na América Latina.

Não que isso tenha alguma significante importância para o imperialismo, mas mostra a profunda política reacionária que o PSTU leva no Brasil, onde até hoje não conseguiu enxergar o golpe de Estado, orquestrado justamente pelo Imperialismo.

O governo golpista do Brasil, capacho do imperialismo, através do Ministro da Defesa, Raul Jungmann, do PPS, enviou as Forças Armadas e a Guarda de Segurança Nacional para as fronteiras de Pacaraima/RR com a Venezuela, para vigiar os venezuelanos.

Com o argumento cínico de que as tropas terão uma missão humanitária, para recepcionar os Venezuelanos que fogem da “crise econômica” do país, os EUA estão posicionando seu exército, os exércitos brasileiro e colombiano para uma provável intervenção militar na Venezuela.

A intervenção militar na Venezuela que já foi anunciada por congressistas norte americanos contempla a reivindicação direitista do PSTU de “Fora Maduro, ditador e traidor da classe operária”.

É necessário lembrar que além da política de apoio ao golpe dos EUA na Venezuela, o PSTU também apoiou o golpe no Egito, Ucrânia, Brasil, e em golpes fracassados, como o da Síria e Turquia.

Será coincidência, estupidez, ou uma aliança programática com os inimigos maiores da classe trabalhadora, o Imperialismo mundial ?