Fora fascista! Militantes expulsam coxinha do MBL infiltrado no ato da Educação em Jundiaí (SP)

_MG_9903

Da redação – Na manhã dessa quarta-feira (15), aconteceu em Jundiaí (interior de São Paulo) uma “Manifestação em Prol da Educação”, o ato foi organizado por vários grêmios estudantis do município, no âmbito da greve geral da Educação que ocorreu em todo o País.

Estiveram presentes no ato, professores, alunos, sindicatos, militantes do PT e do PCO, o objetivo do ato era protestar contra o corte de verbas e o sucateamento da educação e pelo Fora Bolsonaro.

Os militantes do Partido da Causa Operária participaram do ato com bandeiras, venda de jornais e distribuindo materiais da campanha “Fora Bolsonaro” e da campanha “Liberdade para Lula”. Os manifestantes levaram vários materiais e demonstraram apoio à luta contra o golpe.

Os estudantes portavam cartazes com frases mostrando a insatisfação com o governo golpista de Bolsonaro. Frases como: “O governo quer derrubar a educação, pois a educação derruba o governo”, “Na educação tu não põe a mão, taokay?”, “Um governo que não investe na educação, condena toda a nação”, “Mariele Presente”, “Conhecimento destrói mitos”.

Durante a fala de alguns estudantes, os militantes do PCO perceberam a presença de um infiltrado no ato. Tratava-se do coordenador do MBL de Jundiaí, Caio Augusto, um coxinha já muito conhecido por se infiltrar no meio da esquerda em Jundiaí e filmar as ações, sempre ridicularizando os manifestantes. Depois ele faz edições no estilo da imprensa golpista e coloca em seu canal do Youtube.

O que ele não sabia é que encontraria com militantes do Partido da Causa Operária lá, e assim sendo ele foi expulso imediatamente do local. O PCO e outros companheiros mostraram como devemos reagir a esse tipo de provocação da extrema-direita. Muitos estudantes reagiram gritando: “Fora MBL”, “Fora fascista”.

A surpresa foi a esquerda pequeno-burguesa protegendo o fascista, diziam que “violência gera violência”, pediam passividade, e ainda queriam que ele fosse participar de um “debate” para “defender o indefensável”. A esquerda pequeno-burguesa dizia aos estudantes que o bolsonarista não falaria porque fugiu, a verdade é que ele foi expulso pelo PCO e outros militantes da esquerda.

Atitudes passivas como essa que setores da esquerda pequeno-burguesa defendem só servem para fortificar a extrema-direita e sendo assim, mais ataques às organizações de esquerda, de estudantes, de trabalhadores e organizações populares em geral.

Os estudantes e militantes decididos mostraram como agir diante das provocações dos fascistas, já que de forma alguma eles estarão nas ruas lutando pelos direitos do povo e sim para provocar e atacar!