O ex-prefeito João Doria, candidato ao governo de São Paulo, participa de reunião da Executiva Nacional do PSDB, para avaliação do resultado das eleições e definição da posição partidária frente ao segundo turno na eleição presidencial.
|

Como parte do processo golpista no país, João Doria foi “eleito” governador do Estado de São Paulo, na eleição mais fraudulenta da história da República. Bolsonaro, no plano Federal, representa a continuidade e aprofundamento do golpe que quebrou o pacto conciliatório do regime político, que ruma agora no sentido de uma ditadura aberta contra o povo. O governo de Doria, um Bolsonarista, assim como de outros muitos governadores supostamente eleitos, constituem partes integrantes e essenciais desta ditadura que está se consumando no país.

A gestão Doria no governo do Estado, pelo que ele é, fez e representa, como pelas promessas de campanha, será um atentado violentíssimo contra a cidadania Paulista. Um governo sustentado pela burguesia golpista do Estado e pelas forças de repressão, cujos objetivos primordiais são a entrega patrimônio público do Estado ao capital privado que o apoia, do o abrupto rebaixamento das condições de vida da população trabalhadora e a extinção de seus direitos básicos, para também favorecer os capitalistas e o controle da população oprimida e explorado pela violência terrorista do Estado, por meio das  forças repressão.

Todos estes aspectos da política golpista e ditatorial contra o povo estão previstos no programa de governo do governador Bolsonarista de São Paulo. Ou seja, Doria pretende estabelece um regime tirânico no Estado, um tirania obscurantista e violenta contra o conjunto da população. É direito e dever  da cidadania levantar-se contra os poderes tirânicos, contra sua opressão. Diante do governo semi-fascista de Doria, a única posição coerente com a defesa dos direitos inalienáveis do povo é: Fora Doria. É preciso levantar a população contra a tirania que está se estabelecendo no Estado e no país.

Destacamos, dentre inúmeros, cinco motivos de o porquê Doria deve ser derrubado de seu mandato legitimado pelo povo:

1. Aumentou a Passagem dos transportes Públicos.

Em um dos primeiros atos como governador empossado, Doria, mostrando bem qual é o sentido de sua gestão, anunciou um aumento do tarifa do transporte público (trens e metrô) sem nenhuma justificativa e bem acima da inflação. Um aumento de 7,5%, tornado o preço preço passagem de R $4 para R $4,30. Uma jogada casada, que atende os interesses dos capitalistas que controlam os sistemas de transporte rodoviário das cidades. Mostra que Doria governa para os capitalistas e não para o povo.

2.  Doria quer aumentar a repressão contra o povo.

Outro aspecto que mostra que Doria é um inimigo da população é  sua política para o que a burguesia costuma chamar de Segurança Pública, eufemismo para se referir a política que será adotada para reprimir a população. Doria quer espalhar 17 batalhões padrão “Rota”, a elite dos assassinos de farda, pelo Estado. Além desta medida assustadora, pretende ampliar o quadro dos policiais militares e promover uma guerra contra o “crime”, leia-se guerra contra a população pobre e em especial negra das periferias. Com Doria a Polícia terá, praticamente, licença para matar,  já que o próprio governador incita a violência contra a população pobre e negra sob a alcunha de crime.

3. Vai criar uma guarda do latifúndio para perseguir os sem terra.

Ainda no campo de repressão, o governador Bolsonarista pretende criar outra organização policial, destinada, está, exclusivamente para proteger os latifundiários. A patrulha rural foi pensada para proteger os latifundiários, grileiros, especuladores e as multinacionais do setor agrícola dos pequenos camponeses, dos Trabalhadores rurais e sobretudo dos sem terra, esmagados pela grande propriedade. Uma espécie de jagunçagem profissional, mantida diretamente pelo Estado. Doria estuda sua implementação.

4. Chama trabalhador de vagabundo e preguiçoso.

Doria também manifestou, certa feita, sua opinião sobre a classe trabalhadora brasileira e sua luta pelos seus direitos, para ele são “vagabundos” e “preguiçoso”. Doria referiu-se assim aos trabalhadores quando ocorreu a Greve Geral em 2017. Doria é inimigo dos trabalhadores, um representante direto dos patrões, é a mesmo um capitalista, a seu compromisso é única exclusivamente com a sua classe.

5. Se na prefeitura destruiu a cidade, no governo vai destruir o Estado.

Sua rápida, porém desastrosa, passagem pela prefeitura da capital paulista demonstrou o potencial nocivo a população deste indivíduo totalmente desclassificado. Doria atacou violentamente a saúde, fechou unidades básicas de saúde e paralisou obras em hospitais, na educação, como um verdadeiro nazista, pretendeu dar ração as crianças e criou um sistema que impedia as crianças de repetir merenda, deixou centenas de milhares de famílias sem leite. No plano da cultura, cortou verba de incentivo, apagou grafites em murais, obras de arte tradicionais da cidade. Também  pretendeu vender todo patrimônio público da cidade, não obteve sucesso. Ainda atacou violentamente os moradores de ruas e usuário de drogas, mandando jogar água fria em pleno inverno, derrubar um prédio na região da Cracolândia com pessoas  nas imediações, causando feridos, ainda criou campos de concentração para usuários de droga, em suma um governo apocalíptico para a população.

A existência do governo Doria é em si um atentado contra toda a população do Estado, o ato de derrubá-lo  é em si o exercícios da cidadania, da soberania e da dignidade do povo. Fora Doria!

Relacionadas