Siga o DCO nas redes sociais

Luta contra o golpe
Fora Bolsonaro: o eixo principal da Conferência de Luta Contra o Golpe
Segunda Conferência Nacional Aberta terá como eixo estratégico fundamental a luta pelo “Fora Bolsonaro”
pco
Luta contra o golpe
Fora Bolsonaro: o eixo principal da Conferência de Luta Contra o Golpe
Segunda Conferência Nacional Aberta terá como eixo estratégico fundamental a luta pelo “Fora Bolsonaro”
“Foto – Reprodução” – PCO faz um chamado a todos os ativistas e lutadores do país
pco
“Foto – Reprodução” – PCO faz um chamado a todos os ativistas e lutadores do país

Faltando menos de três semanas para a sua realização, cresce em todo o país a expectativa e também a mobilização em torno a 2ª Conferência Nacional de Luta contra o Golpe, evento que ocorrerá na cidade de São Paulo, nos dias 14 e 15 de dezembro. O encontro está sendo convocado e organizado pelo Partido da Causa Operária, juntamente com os Comitês de Luta contra o Golpe, em suas diversas unidades regionais espalhadas por todos os Estados do país.

Esta segunda edição do evento ocorre em um momento particularmente importante e delicado da conjuntura nacional e internacional, notadamente no que diz respeito aos acontecimentos que vem se desenvolvendo no continente latino americano, onde grandes mobilizações de massas estão sendo protagonizadas em diversos países, com a entrada em cena daqueles que são os principais atores das grandes transformações da história, os trabalhadores, as massas populares e os explorados de uma forma geral.

Dentre os objetivos estratégicos fundamentais que estarão na pauta de discussão desta segunda conferência está a luta em torno a um enérgico trabalho de agitação e propaganda a ser debatido e levado adiante no período próximo, que é a conformação de um grande movimento nacional em torno à palavra de ordem central, “FORA BOLSONARO”. O que se vê em todo o pais neste momento é um sentimento de revolta e também um desejo, por parte da maioria da nação, em colocar para fora o governo que vem atacando todos os mais elementares direitos da população pobre e explorada do país; atacando os direitos do povo trabalhador, das mulheres, dos negros, da juventude e dos povos indígenas; o governo dos ataques ao meio ambiente, às universidades, ao serviço público e ao servidor público.

A todos esses ataques somam-se as declarações ameaçadoras de Bolsonaro e seus filhos fascistóides contra as liberdades democráticas ainda formalmente existentes no país; as ameaças de retorno do AI-5; o excludente de ilicitude (licença para a polícia e o Exército matarem) contido no “pacote anticrime” do ministro inquisidor Sérgio Moro; as referências elogiosas de Bolsonaro à ditadura, aos torturadores e à tortura. Todos esses elementos são indicadores de que há uma ameaça iminente da extrema direita fascista contra o país, contra os trabalhadores, contra a população, contra os movimentos de luta do campo e da cidade e contra a esquerda nacional.

A greve dos petroleiros, a movimentação em torno à luta de outras categorias e agora neste momento a decisão do congresso de uma das mais importantes categorias de trabalhadores, os “Químicos do ABC”, que adotou o “Fora Bolsonaro” como uma das resoluções, indicam que há todo um ambiente favorável para o desenvolvimento da luta em torno à palavra de ordem que está na voz e no grito das ruas, “Fora Bolsonaro”. A tarefa central desta segunda conferência, portanto, será a centralização, a unificação e o impulsionamento de uma tendência já presente na conjuntura, já presente no seio das massas populares, já presente no sentimento e no desejo da maioria da população.

Neste sentido, o PCO e os diversos comitês de luta contra o golpe em todo o pais dirigem um amplo chamado a todos os lutadores e ativistas das mais diversas categorias de trabalhadores e do movimento popular, de todas as regiões, para estarem presentes à segunda Conferência Nacional Aberta, onde estarão pautadas as grandes questões e os grandes temas que permeiam a luta de classes no nosso país e no continente latino, neste momento incendiado pela luta do povo oprimido de cada nação contra os governos burgueses, contra a extrema direita, contra o Exército inimigo do povo, no Chile, na Bolívia, na Venezuela, no Equador, na Colômbia, no Haiti, na Argentina, no Uruguai.

Abriu-se no continente latino uma etapa de grandes lutas e mobilizações, com enfrentamentos radicalizados e conteúdo político abertamente revolucionário, de luta pelo poder, contra o imperialismo e o grande capital. A segunda Conferência Nacional Aberta dará um importante passo para impulsionar o desenvolvimento desta luta, fundamental para abrir um ciclo de lutas vitoriosas das massas no próximo período.