Fora Bolsonaro: mobilizar os sem-terra contra o fim da aposentadoria rural

bolsonaro4

Para quem esperava as ações do filisteu Jair Bolsonaro (PSL) entrarem em vigor para começar a agir, já se pode dizer que já não faltam motivos. A locomotiva de destruição da classe trabalhadora que antes mantinha seu peso seco por falta de combustível (faixa de presidente) e seus fluidos essenciais (camarilha golpista), agora encontra-se em ordem de marcha e a todo vapor.

Os bárbaros planos do governo ilegítimo já estão em ritmo acelerado. Pensão por morte, auxílio-reclusão e aposentadoria rural constam em sua lista de abolições. A camarilha escolhida a dedo para a composição do governo golpista de Jair Bolsonaro pretende enviar ao Congresso uma Medida Provisória (MP) afim de fazer uma “revisão” das regras previdenciárias e permitir a análise de todos os benefícios concedidos pelo INSS; o que significa, de fato, a liquidação de direitos sociais e a passagem dos lucros aos bancos privados.

Nos casos de pensão por morte, pretende-se dificultar o acesso através de comprovantes para aqueles com união estável. Além da comprovação da dependência econômica, uma prova documental contemporânea do relacionamento passa a ser necessária. Resta saber que documentos são estes e quem os validará.

Já para o auxílio-reclusão, pago aos dependentes do contribuinte preso, será exigido uma carência de 12 meses. Se não havia tempo mínimo de contribuição consecutiva ao INSS, agora passará a ter. Antes era exigido apenas que o segurado tivesse contribuído por no mínimo 18 meses ao longo da vida.

Se para usufruir do benefício da aposentadoria rural o contribuinte tinha o amparo do sindicato rural, agora todos passam a contar com a boa vontade da justiça. Doravante, uma autodeclaração do segurado será minuciosamente examinada pelos senhores da lei O que antes era controlado pelas organizações dos trabalhares, agora passa a se concentrar nas mãos dos golpistas.

Não obstante, como todo bom cão merece seu afago; todo bom serviçal levará sua gorjeta. A medida provisória agraciará os técnicos e analistas do seguro social com um bônus de R$ 57,50 para quem identificar irregularidades em aposentadorias e pensões. Essa motivação existe desde 2016 para os médicos peritos do INSS, que recebem um bônus de R$ 60 por perícia extra realizada. O – desgoverno transicional golpista de Michel Temer (MDB) – já havia preparado o campo do capitão boçal com as sementes da destruição; os bônus já constam em lei desde 2017.

A fraude representada por Bolsonaro não irá parar com os ataques contra a classe trabalhadora se não houver luta. Mal acabara de assumir a presidência e já está atacando duramente os trabalhadores, desmantelando toda a economia nacional e articulando a liquidação total da esquerda e suas organizações sociais. Somente a mobilização das massas é capaz de derrubar esse governo golpista. Os que se iludem achando que a locomotiva de destruição nacional conduzida por Bolsonaro travará as rodas por falta de combustível, enganam-se! Ainda não perceberam que somente um levante das massas é capaz de jogar água na caldeira e descarrilar o golpe.

A libertação de Lula, nesse caso como nos outros, é fator sine qua non para o triunfo da luta dos explorados.