Fraude eleitoral
Em matéria sobre o lançamento da candidatura do PT para prefeitura de São Paulo, a Folha procura usar a candidatura de Boulos para sabotar a de Jilmar Tatto, do PT
tatto e haddad GRANDE
Fernando Haddad e Jilmar Tatto, durante convenção do PT municipal de São Paulo | Foto: Filipe Araújo/Divulgação / Divulgação
tatto e haddad GRANDE
Fernando Haddad e Jilmar Tatto, durante convenção do PT municipal de São Paulo | Foto: Filipe Araújo/Divulgação / Divulgação

O Partido dos Trabalhadores realizou, no último sábado (12), o lançamento da candidatura de Jilmar Tatto para a prefeitura de São Paulo. O evento foi realizado numa laje no bairro Jardim São Luiz, na zona sul da capital. O que chama mais a atenção, no entanto, é a cobertura dada pelo jornal golpista Folha de São Paulo, para o evento.

Na matéria publicada no jornal, faz-se questão o tempo todo de comparar o evento com o mesmo promovido pelo candidato do PSOL, Guilherme Boulos, que a Folha avalia como a “principal sombra hoje à esquerda do partido”. Inclusive, no título da matéria, apelidam o lançamento da candidatura petista de “repeteco do PSOL” porque a convenção de Boulos também foi realizada em um bairro da periferia.

Em toda a matéria, o jornal burguês procura colocar o evento como uma grande derrota da campanha petista, ressaltando o fato de que Gleisi Hoffman e Fernando Haddad participariam apenas virtualmente da convenção. Com relação ao apoio de Lula, procuram criar um falso dilema, afirmando que Lula estaria com receio de apoiar o candidato do próprio partido e acabar “melindrando” Boulos. 

Além disso, também mencionam as pesquisas realizadas pelos nada confiáveis institutos da própria imprensa golpista, que chegam a colocar Guilherme Boulos em segundo lugar no índice de intenção de votos dos eleitores paulistanos, ficando atrás apenas do candidato do PSDB, Bruno Covas.

Outro ponto colocado pela matéria é o fato de alguns artistas de esquerda terem declarado apoio a Guilherme Boulos, em vez de Tatto. Sem levar em consideração que uma boa parte deles o fez justamente por conta da campanha da própria Folha em torno do psolista ou pela pressão da burguesia, que procura fazer o máximo para sabotar a campanha do Partido dos Trabalhadores.

Toda a campanha realizada pela Folha de São Paulo demonstra a disposição da imprensa burguesa em manipular as eleições municipais da capital paulista contra o PT. Chegam ao ponto de mostrar o relativamente desconhecido Guilherme Boulos como uma grande liderança de esquerda e uma das pessoas mais populares do país. Tudo isso se prova completamente falso se levarmos em consideração o resultado das eleições presidenciais de 2018, das quais Boulos participou e ficou com votação de apenas 0,58%. 

Essa manipulação deve ser destacada como mais um aspecto da fraude gigantesca que será realizada nas eleições de 2020. É óbvio que todo o processo eleitoral está sendo armado para que vença o principal candidato da direita, Bruno Covas, do PSDB, ao qual a matéria da Folha também dá grande destaque. A verdade é que apenas o PT teria capacidade de fazer frente ao PSDB nas eleições municipais de São Paulo, e é por conta disso que toda a imprensa burguesa está tentando impulsionar artificialmente a candidatura de Boulos, que a princípio seria totalmente minoritária.

Relacionadas
Send this to a friend