5 jovens foram assassinados
Após forte repressão policial na comunidade, que assassinou 5 jovens, moradores fazem nova manifestação.
57d67cc5-6610-4717-9272-dcd462801dee
Comunidade sofre com as invasões da PM. |

Da redação – A comunidade do morro do Mocotó, localizado na região central da ilha de Florianópolis, saíram novamente as ruas para protestar contra a pressão policial na comunidade.

O protesto foi realizado na última segunda-feira, 4, em frente a principal entrada da comunidade. No último período, 5 jovens moradores do morro foram assassinados pela polícia, sendo 3 deles em na escadaria que da acesso a comunidade e outros 2 em comunidades próximas.

Esta foi mais uma manifestação da série de lutas contra a repressão policial. Anteriormente a polícia reprimiu duramente o ato, e dessa vez os moradores voltaram a ocupar as ruas em frente a comunidade, fechando a principal via de circulação de carros e protestando contra a PM e exigindo diretos a comunidade.

Os moradores além de protestar homenagearam os jovens mortos durante o ato. Em declarações, o governador do estado de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), foi classificado como genocida, e um dos locutores denunciou que no morro a “PM mata mais que coronavírus”.

Além disso, a comunidade denunciou o desolamento e a falta de auxilio dada pela prefeitura no combate a pandemia.

No ato, militantes do PCO levaram as palavras de ordem pela dissolução da polícia militar e pela criação de um conselho popular na comunidade.

Relacionadas