Na semana passada, a Câmara dos Deputados aprovou a entrega da base aeroespacial de Alcântara, no Maranhão, para os Estados Unidos. Dentre os partidos que votaram a favor de tamanho crime de lesa-pátria estão o PSB, o PDT e o PCdoB.

A deputada do PCdoB pelo Acre, Perpétua Almeida, votou favoravelmente com ressalvas ao projeto original da direita, acreditando, segundo o Portal Vermelho (21/08/2019), que o acordo não fere a soberania nacional. Para ela, ele não deve jogar por terra os interesses nacionais, o desenvolvimento do País e do Maranhão, nem os direitos da população de Alcântara. Perpétua afirmou que o governador do estado, Flávio Dino (PCdoB), apoia o projeto de entrega da base nesses parâmetros.

De fato, alguns meses atrás Dino já havia defendido uma entrega “com contrapartidas” da base para o imperialismo. Em abril, participou de um seminário em São Luís, no qual afirmou que “a exploração comercial (da base) é necessária, é bem-vinda” (RBA, 15/04/19). No mês anterior, em entrevista à Fórum, foi além: “a exploração comercial não pode ser monopólio de um país, ou seja, a Base deve estar à disposição de todos os países que queiram usar e tenham condições para a retomada do Programa Espacial Brasileiro.” (Fórum, 17/03/19).

Dino é governador do Maranhão, de um partido que se diz comunista. É uma importante figura institucional que, sendo de esquerda, naturalmente deveria denunciar o propósito da entrega de Alcântara aos EUA (e ao imperialismo no geral), colocando-se abertamente contra tal iniciativa. Mesmo que ela ocorresse “com ressalvas”, ainda assim seria um crime contra a soberania nacional, uma vez que forças de um país imperialista operariam uma base estratégica em um local estratégico para a soberania brasileira. Em nenhuma hipótese o imperialismo deixaria de boicotar o desenvolvimento da tecnologia nacional. Nem o norte-americano nem o de outro país que, na proposta que Dino apoiaria, participasse do acordo.

A votação favorável à entrega de Alcântara para os Estados Unidos é um atentado contra a soberania nacional e o desenvolvimento científico e tecnológico independente do Brasil. É mais um crime cometido pelo governo Bolsonaro contra o povo brasileiro, tal como a possibilidade de entrega da Amazônia para o imperialismo.

Votar a favor da entrega de Alcântara “com ressalvas” é a mesma coisa que votar a favor da “reforma” da Previdência “com ressalvas”. Está votando a favor, da mesma forma. É um roubo contra o povo, de qualquer maneira.

O movimento popular deve denunciar esse novo episódio de vassalagem do governo ilegítimo, pau-mandado dos imperialistas, e se organizar para derrubar Bolsonaro e reverter esse processo de doação de todos os recursos nacionais ao imperialismo.

Send this to a friend