Processos aumentam em 270%
O trabalho em casa escancara a farsa do “fique em casa” que só serviu para reprimir e para criar mecanismos de retirada de direitos e exploração os trabalhadores durante a crise
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
juan_carlos_carvallo_venezuela_rodriguez_paiva_o_teletrabalho_pode_acabar_com_a_hora_de_ponta
Teletrabalho | Foto: reprodução

Levantamento recente feito nas Varas do Trabalho dão conta de que houve um aumento de quase três vezes nas ações ajuizadas na Justiça do Trabalho sobre o tele trabalho, ou home office, que esteve em evidencia no auge da campanha burguesa do fique em casa, intensificando a exploração e jogando milhares de trabalhadores em péssimas condições de trabalho em benefício dos patrões onde se discute até mesmo continuar o trabalho em casa depois da pandemia.

O fique em casa consistia em uma campanha histérica promovida pela burguesia assim que teve início a pandemia para evitar grandes perdas para os capitalistas e que conseguiu a aderência de grande parte da classe média. Com o pretexto da pandemia houve uma série de ataques a direitos trabalhistas inclusive relacionados ao emprego e ao salário e o aumento da repressão contra os trabalhadores e camadas mais pobres da população que era impedida de sair as ruas apenas para atividades de recreação, enquanto que para o trabalho continuaram sendo obrigados a sair de casa expostos ao vírus sem qualquer medida de prevenção como testagem, ou de proteção no transporte e no próprio local de trabalho.

Para alguns setores houve a opção do trabalho em casa, onde os patrões encontraram o campo perfeito para intensificar ainda mais os ataques aos trabalhadores quase sempre amparados pela legislação improvisada para proteger a burguesia, prevendo desde redução do salário até suspensão do contrato de trabalho. O trabalho em casa é mais um ponto que escancara a farsa da campanha do fique em casa que só serviu para reprimir e para criar mecanismos de retirada de direitos e explorar os trabalhadores durante a crise.

Mesmo com a reforma trabalhista do governo Temer que foi implementada dentre outras coisas para impedir o acesso dos trabalhadores à Justiça do Trabalho, com a imposição de multas em caso de não reconhecimento do direito, as ações judiciais por irregularidades no tele trabalho subiram 270% e tendo como as principais reclamações o desrespeito à jornada de trabalho e não contagem das horas extras, o que por si só demonstra o real objetivo das medidas de home office adotadas pelos patrões impostas sem nenhuma assistência ao empregado e intensificando a exploração.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas