Quarentena farsesca
Os números de São Paulo demonstram que a classe trabalhadora continua tendo que sair às ruas e correr o risco de se contaminar. 
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
coronavírus sp
Trabalhadores no transporte público correm risco sério de contaminação. Foto: Ricardo Moraes/Reuters |

Segundo declaração do secretário estadual da Fazenda de São Paulo, Henrique Meirelles, a economia paulista não está totalmente paralisada com a quarentena imposta pelo governador João Dória (PSDB), que foi estendida até o dia 31 de maio. Segundo afirmação feita por ele na segunda-feira passada (11), 74% das empresas continuam funcionando normalmente, sem nenhuma restrição, mesmo com a quarentena. 

O que isso quer dizer, na prática, é que 74% das empresas continuaram com seus contingentes de trabalhadores sem nenhum isolamento social de fato. Nessas empresas, todos os funcionários estão tendo que trabalhar, sem ter o direito a ficar em casa para se proteger da infecção por coronavírus.

Além disso, a quantidade de empresas que continuam funcionando, mas com alguma restrição, é de 76% do total de empresas do estado. Estas empresas dispensaram alguns de seus funcionários, mas mantiveram a outra parte trabalhando normalmente. É um outro número grande de pessoas que não estão podendo se manter em casa durante a pandemia de coronavírus.

Segundo Dória afirmou em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes na segunda-feira passada (11), o setor da construção civil seria um exemplo de atividade que não foi interrompida em nenhum momento durante o período de quarentena. 

Esse é um dos exemplos lembrados pelo governador de extrema-direita, porém pode-se citar outros setores como os Correios, a indústria alimentícia, os supermercados, o setor de transporte público, profissionais informais que não têm condições de se manter sem trabalhar e que não estão recebendo nenhum auxílio financeiro do estado e muitos outros. 

Ainda assim, o secretário da Fazenda Henrique Meirelles menciona a queda de 19% no ICMS do estado de São Paulo com relação ao ano passado, porém ele justifica dizendo que a queda se dá não só por efeito da quarentena, mas também da pandemia em si, que tem uma influência grande em vários setores da economia.

O governador ainda procura fazer demagogia com a população pobre, dizendo que 10 mil cestas de alimentos seriam entregues para comunidades de baixa renda em aldeias indígenas. Isso em um estado com a população de mais de 44 milhões de pessoas. É claro que não passa de um jogo de cena.

É preciso denunciar seriamente o fato de que não há quarentena de verdade em nenhum lugar no Brasil. Os números de São Paulo demonstram que, apesar de toda a propaganda da direita feita com apoio da esquerda pequeno-burguesa, a maior parte da classe trabalhadora continua tendo que sair às ruas e correr o risco de se infectar, tanto no seu ambiente de trabalho como no transporte coletivo lotado que toma todos os dias e que é um dos ambientes mais propícios para a propagação do vírus. 

É preciso parar todas as empresas que continuam funcionando e deixar que os trabalhadores decidam quais são os serviços essenciais. Além disso, nas empresas que não puderem parar porque geram produtos fundamentais para a sobrevivência da população, é preciso criar um sistema de turnos para os trabalhadores não passarem tempo demais expostos ao vírus. Deve-se, também, proibir a demissão e a suspensão de contratos. Um auxílio que realmente sustente o trabalhador deve ser oferecido pelo governo para que ele possa fazer o isolamento social. A única forma de alcançar essas medidas é pela organização e mobilização popular nos conselhos de bairro, que devem desenvolver seu programa de reivindicações e pedir Fora Bolsonaro e Fora Dória.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas