Destruição
Foi proposto pelo governo nesta última sexta-feira dia 29, o fechamento da Cinemateca em reunião entre setores da cultura e do cinema.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
cinemateca (1)
Hall de entrada da Cinemateca. Festival de Curtas. | Foto: Circuito Fora do Eixo

Existe no Brasil desde sempre, só que mais acirrada nos tempos de hoje, uma política coordenada e consciente para destruir a cultura nacional e na última sexta-feira, dia 29, ficou mais específica essa destruição do setor cultural do cinema, com uma proposta feita pelo governo para simplesmente fechar a Cinemateca Brasileira. Na cidade de Brasília, no Distrito Federal, essa reunião foi realizada entre representantes da secretaria especial da Cultura e Audiovisual e da direção da Fundação Roquette Pinto (Acerp).

O governo atual é um governo com características fascistas, ou seja, reacionário, comandado por velhos malditos, que trabalham para os bancos, para os grandes monopólios, para o próprio bolso. A cultura faz parte daquilo que rejuvenesce e que ajuda a revolucionar de certa maneira, o cinema então, constitui em um dos mais variados modos de expressão cultural da sociedade, no caso a que nos encontramos, uma sociedade industrial e tecnológica contemporânea. É considerado desde de os primórdios, como uma poderosa ferramenta para instrução, educação e reflexão humana.

A cinemateca, sediada em São Paulo é o órgão responsável pela memória do cinema e audiovisual brasileiro. A proposta do governo prevê de maneira simples, por assim dizer, a rescisão do contrato e o fechamento da Cinemateca e a interrupção de todos os projetos em andamento. Uma das desculpas para o fechamento é a cobrança de cerca de R$ 11 milhões que o governo tem com a entidade, ainda referente a 2019. Mesmo com a rejeição da proposta pelos representantes da Acerp e também pelo acionamento do conselho administrativo para tomar medidas judiciais, o que não ajuda em nada, pois a gente sabe que os órgãos jurídicos foram criados para trabalhar para a burguesia, assim como a polícia que serve para oprimir os mais simples.

O cinema pode servir como um instrumento de educação da sociedade, sem esquecer também que uma das principais função do cinema é movimentar as emoções do seu público. A obra cinematográfica nos sensibiliza, ensina, encanta e nos faz feliz. “O cinema é encantador, único, impactante e um grande facilitador de reflexões e emoções”, afirma a psicóloga Josiane Zhaga, de São Paulo, que sempre utiliza filmes para trabalhar as percepções, emoções e realidades diversificadas. Diferente dos interesses da classe dominante deste sistema que na verdade só trabalha para acumulação por parte da empresas privadas que supera de tal forma, o poder do Estado, gerando mudanças em toda parte, em toda organização social, afetando em última análise, as formas de organização de nossa subjetividade.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas